Por tabata.uchoa

Rio - O ursinho de pelúcia e a mochila cor de rosa de Ohara, de 2 anos, ficaram sob a roda traseira esquerda da pá mecânica que recolhia lixo na localidade conhecida como Biquinha, no Morro do Vidigal, Zona Sul do Rio. Ela os carregava quando foi atropelada pela máquina que derrapou enquanto tentava contornar uma curva onde está a base da Unidade de Polícia Pacificadora da favela. A menina não resistiu e morreu pouco após ser socorrida no Hospital Municipal Miguel Couto, para onde foi levada por policiais militares. O enterro da criança será neste domingo, no Cemitério São João Batista, em Botafogo, na Zona Sul.

A avó Rosemery se feriu sem gravidade%2C e a pequena Ohana%2C de 3 anos%2C não resistiu. A pá mecânica teria derrapado enquanto tentava contornar uma curva perto da UPPRepordução Facebook / Parceiro do Vidiga | Maíra Coelho / Agência O DIA

No momento do acidente, por volta das 7h30, Ohara seguia sua rotina normal: descia a rua íngreme de mãos dadas com a avó, Rosemery Pereira da Silva, de 55 anos, que ficou ferida sem gravidade. Tinha como destino a creche. Rose, como é conhecida, carregava outro neto no colo, que nada sofreu. Uma outra moradora, identificada como Karina Natividade, 21, teve uma luxação em um dos pés.

A pá mecânica era dirigida por um motorista da Comlurb, e é usada para retirar lixo e entulho na comunidade. A responsabilidade de manutenção da máquina é da empresa CS Brasil, que venceu licitação, em 2014, para locação dos equipamentos por R$ 9,3 milhões. Procurada, a CS Brasil disse que não iria se manifestar.

Uma perícia feita no veículo pelo Instituto Carlos Éboli, da Polícia Civil , deverá revelar o que causou a derrapagem. Representantes da terceirizada e da Comlurb acreditam em falha humana. “Chovia no momento. Não tem óleo na pista e a curva é estreita. O motorista não devia ter subido”, opinou um dos técnicos da Comlurb. Em nota, a companhia disse que lamenta o acidente e presta assistência às vítimas.

O acidente ocorreu em momento de grande movimentação no local. Karina também foi ferida nos pésReprodução Facebook / Parceiro do Vidiga

Operador da máquina se desesperou

Na saída do hospital, Karina contou como ocorreu o acidente. “Estava descendo para ir trabalhar e a senhora estava levando a criança para a escola. Ela estava na minha frente quando tudo aconteceu”, contou a moradora do Vidigal.

Karina afirmou que a dupla de garis realiza diariamente o trabalho de retirada de lixo do local. Logo após o atropelamento, o motorista teria dito que a máquina perdeu o freio. “Ele ficou desesperado, chorava muito. Passou muito mal, também tremia muito. Os bombeiros tiraram a pressão dele porque estava muito abalado”, afirmou.

No Facebook, na página ‘Parceiros do Vidiga’, moradores lamentavam a morte da menina. “Triste demais, estamos de luto”, postou um morador. Um homem que disse trabalhar na Comlurb também comentou:“É aniversário do gari que estava trabalhando junto com o operador e olha o presente dele. Ele me deu uma abraço, chorando pra caramba , meu companheiro de trabalho.”

Você pode gostar