Questionado por ouvinte, Eduardo Paes nega ser gay

Entrevista foi no programa do Leo Dias. Prefeito condenou a homofobia: 'Ódio e preconceito não combinam com o Rio'

Por O Dia

Rio - Em um bate-papo descontraído, na noite desta quarta-feira, com o jornalista Leo Dias, no programa de entrevistas ‘De Cara’, da FM O DIA, o prefeito Eduardo Paes negou ao vivo que fosse gay. A pergunta foi feita por uma ouvinte que questionou quando ele sairia do armário. Paes disse que não é homossexual. Mas que se fosse não teria nenhum problema em assumir.

O prefeito condenou a homofobia e disse que para administrar uma cidade como o Rio de Janeiro é preciso saber respeitar as escolhas dos outros, as diferenças, a religião e a orientação sexual. “Ódio e preconceito não combinam com o Rio de Janeiro que sempre foi uma cidade aberta. É uma característica do Rio. Uns gostam de funk e outros de samba”, declarou Paes.

Pelo Twitter, uma ouvinte quis saber do prefeito o que é ter alma de pobre. Paes citou o cantor Zeca Pagodinho como alguém que se encaixa neste perfil. “Ele gosta de uma cervejinha, de ir para o sítio em Xerém. Eu tenho uma alma de pobre. Gosto de ir para Madureira”, disse. Por outro lado, acrescentou que políticos que compram casas em Miami têm alma de rico. Questionado pelo colunista Leo Dias sobre quem seria o principal adversário do candidato do PMDB na disputa eleitoral pela prefeitura do Rio, Pedro Paulo, Paes citou o senador Marcelo Crivella (PRB), da Igreja Universal.

Últimas de Rio De Janeiro