Secretário de Educação confirma o fim do Saerj e prepara novo exame

Sindicato espera que acordos sejam publicados na próxima semana no Diário Oficial

Por O Dia

Rio - Em encontro com representantes do Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação (Sepe), realizado ontem, o novo secretário estadual de Educação, Wagner Victer, confirmou o fim do Sistema de Avaliação da Educação do Estado do Rio (Saerj). Este ano será realizado o último exame no modelo, criado em 2008, para avaliar o desempenho dos alunos do 5º, do 9º anos do Ensino Fundamental e da 3ª série do Ensino Médio, nas escolas estaduais, em Português e Matemática.

A partir de 2017, um novo sistema de avaliação de ensino será feito em parceria com os professores. “É uma expectativa de toda a sociedade, dos alunos, dos pais e dos próprios professores que querem ter um sistema de avaliação”, explicou Wagner Victer.

Uma das coordenadoras do Sepe, Dorotea Frota, elogiou a disposição de Victer em ouvir a categoria, bem como a postura do secretário diante dos muitos problemas que terá pela frente.

O novo secretário de Educação%2C Wagner Victer%2C se reuniu com o SepeBanco de imagens

“Só o fato de ouvir e estabelecer uma conversa já é algo positivo. E acredito que a reunião tenha sido boa, mas é preciso que tudo o que foi acertado seja colocado no papel. Esperamos que o governador Dornelles faça isso até a próxima terça-feira, o prazo que estabelecemos”, disse Dorotea Frate.

Os representantes do Sepe informaram que Victer se comprometeu a respeitar todos os acordos firmados com o ex-secretário Antônio Neto e o ex-chefe de gabinete Caio Castro Lima.

Das pautas que ficaram pendentes, todas foram bem aceitas pelo secretário, como o cumprimento de um terço da carga horária para realizações de atividades extra-classe, a descentralização e o fim da terceirização da perícia médica, e a publicação no Diário Oficial dos adicionais ao salário a que os profissionais têm direito por cursos de formação, que não têm sido incorporados desde 2013.

Paralisação
Se a audiência com a secretaria estadual foi positiva, o mesmo não se pode dizer da prefeitura. Segundo o Sepe, nem o prefeito Eduardo Paes, nem ninguém da secretaria municipal recebe os profissionais de educação há dois anos. Ontem, trabalhadores da rede municipal decidiram fazer paralisação de 24 horas em 16 de junho. “Infelizmente, as demandas no município só fazem aumentar”, disse Dorotea.

?Colaborou Amanda Raiter

Últimas de Rio De Janeiro