Por gabriela.mattos

Rio - Dos 41 policiais militares e civis mortos a tiros este ano no Rio, 18 foram vítimas na Baixada Fluminense e na Zona Oeste: nove em cada região. Na Zona Norte, sete perderam suas vidas e cinco na Zona Portuária. Outros morreram na Região Metropolitana, Região dos Lagos, Norte e Sul Fluminense. Dez PMs foram atingidos quando estavam em serviço (foram mortos em ataques ou em confrontos). A mais recente vítima da escalada da violência no estado, o policial militar Eduardo Ferreira Dias, assassinado em um dos acessos à Mangueira, domingo, foi enterrado ontem à tarde, no Cemitério Jardim da Saudade, Sulacap.

Dos policiais assassinados, cinco foram mortos em áreas de UPP, como Mangueira e Providência.
Na Baixada, Nova Iguaçu é a cidade que registrou o maior número de policiais mortos: quatro no total. São João de Meriti e Belford Rocho estão logo atrás com dois casos cada.

Policial assassinado domingo trabalhava na UPP da MangueiraJoão Laet / Agência O Dia

“É a região menos assistida pelo poder público. É uma ‘terra de ninguém’. Está provado que após a instalação de UPPs no Rio, a situação piorou por lá. É insegura até mesmo para os policiais, imagina para a população”, comentou o especialista em segurança pública e fundador do Batalhão de Operações Especiais (Bope), Paulo Amêndola. Na lista de policiais mortos também há militares reformados e três policiais civis.

Já na Zona Oeste, o bairro que lidera às estatísticas é o Recreio dos Bandeirantes, com três crimes. Na Zona Norte, houve registro de morte de PM na Pavuna, Jacarezinho, Mangueira, Penha, Benfica e Engenho Novo.

Morto quando chegava para trabalhar na Mangueira, o PM Eduardo Ferreira foi sepultado nesta segunda-feira com honras militares. A viatura onde estava o soldado e outro PM — que não se feriu — foi atacada por dez criminosos que chegaram em carros, ‘fecharam’ a viatura e atiraram. Ele morreu após ser atingido no peito.

Ataques

Baixada 
Nova Iguaçu é a cidade da região que mais contabilizou morte de PMs nos primeiros cinco meses do ano. O caso mais recente foi do soldado Eryk da Cruz Laia, de 34 anos. Ele morreu depois de reagir a uma tentativa de assalto no bairro da Cerâmica. O policial era lotado no 20º BPM (Mesquita).

Zona Oeste 
O assassinato mais recente de um policial na região aconteceu no último 17 de maio. O policial civil Robson Luiz de Macena, estava de folga e foi morto em Guaratiba. No mesmo dia, um PM reformado também foi assassinado. Este crime ocorreu no Recreio.

Zona Norte
O policial morto mais recentemente na região foi na Mangueira, domingo. Eduardo Ferreira foi atingido no peito e não resistiu. Este ano, dia 7 de abril, o soldado Pablo Victor morreu em ataque na comunidade.

Você pode gostar