Dois homens morrem após caírem de prédio em Copacabana durante briga

Segundo relatos de moradores, Paulo Lampas, de 60 anos, tinha marcas de facadas pelo corpo. Polícia investiga motivação

Por O Dia

Rio - Dois homens morreram durante uma briga em um apartamento em Copacabana, na Zona Sul do Rio na madrugada desta terça-feira. Segundo informações da polícia, Paulo Lampas Domingues Lourenzo, de 60 anos, morreu após cair do 9º andar do prédio onde morava na Rua Figueiredo Magalhães 598.

Segundo vizinhos, Paulo estava com várias facadas no corpo. O outro homem identificado como Erick Alessandro Menegotto, de 22 anos, morreu logo depois no Hospital Miguel Couto, na Gávea, onde não resistiu aos ferimentos. 

Briga dentro de apartamento em Copacabana acabou com os dois mortos após queda de prédioEstefan Radovicz / Agência O Dia

O cabo Cardoso do Batalhão de Policiamento em Áreas Turísticas (BPTur) que, estava chegando para trabalhar, informou que viu o corpo de Paulo cair. Ele disse que Erik caiu no pátio do edifício, que fica no 6º andar, após tentar sair do apartamento por uma teresa — corda feita com pedaços de pano amarrados.

"Chamei a polícia e os bombeiros. Logo depois, fui informado por moradores que um homem teria tentado fugir e estava caído num pátio no 6º andar. Ele ainda estava vivo. Perguntei se ele estava no apartamento da outra vítima e ele disse que sim. Vi vários lençóis pendurados na janela. Acredito que ele tenha tentado descer por uma teresa, mas queimou as mãos e caiu. Parecia estar com a pernas quebradas. Chamei os paramédicos e ele foi levado para o hospital", contou o PM.

Paulo caiu do nono andar do prédio de Copacabana e tinha perfurações de faca pelo corpo. No detalhe, 'teresa' usada por Erick para fugir da cena do crimeEstefan Radovicz / Agência O Dia

Moradores e comerciantes do local estão chocados. Segundo eles, Paulo era morador antigo do prédio. Uma delas é a aposentada Vania Costa, de 77 anos. "Não ouvi brigas. Diziam aqui no prédio que eles moravam juntos. Estou chocada e triste", disse ela. O caixa de um lanchonete, Antonio Alves da Silva, de 32, lembrou de Paulo. O corpo caiu em frente ao estabelecimento. "Quando cheguei, o corpo já estava coberto. Ele vinha sempre tomar café e ficava fumando aqui. Conhecia-o apenas de vista", disse Antonio

O caso foi encaminhado para a 12ª DP (Copacabana). A polícia investiga o que motivou a discussão. 

Polícia Civil realizou perícia no apartamento em Copacabana onde ocorreu a brigaEstefan Radovicz / Agência O Dia


Últimas de Rio De Janeiro