Morre o quarto metalúrgico da CSN envolvido em acidente

Incêndio ocorreu no dia 25 de março, na Usina Presidente Vargas. Outros três operários ficaram gravemente feridos

Por O Dia

Rio - O metalúrgico da Companhia Siderúrgica Nacional, de Volta Redonda, no Sul do Estado, Aluênio Francisco Alves Gouveia, de 31 anos, morreu nesta quata-feira, no Hospital Oeste D`Or, em Campo Grande. Casado e morador de Volta Redonda, ele deixa dois filhos e trabalhava na empresa há oito anos.O enterro está previsto para acontecer nesta quinta-feira e o horário ainda será confirmado, no Portal da Saudade, em Volta Redonda.

Aluênio é a quarta vítima fatal do acidente ocorrido no dia 25 de março, no setor de Zincagem 1 da Usina Presidente Vargas, que deixou mais três operários gravemente queimados. Dênis da Silva, de 37 anos tinha sido a terceira vítima fatal na semana no início do mês.

?LEIA MAIS: Grave incêndio na CSN deixa pelo menos quatro metalúrgicos feridos

Também no início do mês não resistiu Renan Martins, de 29 anos, envolvido no mesmo acidente. Ele estava internado no mesmo hospital e chegou a ter uma das pernas amputadas. No dia 13 de abril, Wanderley dos Santos, de 38 anos, foi o primeiro dos quatro acidentados a morrer, também no Oeste D`Or.

Em nota, o Sindicato dos Metalúrgicos do Sul Fluminense lamentou a morte de Aluênio. O presidente Sílvio Campos reafirmou que a entidade vem insistentemente cobrando da direção da empresa a melhoraria da segurança de trabalho no interior da usina.

Morre o quarto metalúrgico da CSN envolvido em acidenteFrancisco Edson Alves / Agência O Dia

Também em nota, a CSN informou qu Aluênio trabalhava há oido anos na empresa. " A CSN está prestando todos auxílio à família e manifesta sua solidariedade aos familiares e amigo", diz a nota.

A Oposição Sindical também vem criticando a “falta absoluta de política de segurança” para os trabalhadores, no interior da CSN. De acordo com ativistas, a empresa não estaria dando a devida atenção a saúde e as condições de trabalho dos metalúrgicos, "conforme existia na época em que a empresa ainda era estatal e envolvia constantemente membros da Cipa". "As demissões em massa (mais de mil funcionários teriam sido demitidos este ano) e a exigência de recordes de produção, têm se tornado o combustível para acidentes fatais, cada vez mais frequentes”, reafirmou Tarcísio Xavier, da Oposição Sindical. Só este ano, cinco trabalhadores - entre eles uma mulher -, morreram em acidente dentro da CSN. O Ministério do Trabalho.

O Sindicato dos Metalúrgicos do Sul Fluminense lamenta profundamente a morte da quarta vítima do acidente da Zincagem I, na Usina Presidente Vargas, na CSN, em Volta Redonda. O Ministério Público do Trabalho já foi acionado pelas entidades de defesa dos metalúrgicos e está cobrando providências por parte da CSN em relação ás segurança dos trabalhadores.

Últimas de Rio De Janeiro