Jogador envolvido em caso de estupro deixa prisão: 'Provado que sou inocente'

Pai de Lucas Perdomo Duarte Santos disse que, a partir de agora, terá controle mais rígio sob o rapaz

Por O Dia

Rio - Levado da carceragem da Polinter, na Cidade da Polícia, para o Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, Zona Oeste da cidade, nesta quinta-feira, o jogador Lucas Perdomo Duarte Santos, 20 anos, deixou o local menos de 24 horas após dar entrada. No início da noite desta sexta-feira, o jovem, suspeito de participar do estupro coletivo de uma jovem de 16 anos em uma favela da Praça Seca, saiu do presídio acompanhado de seus pais e advogados. Outro suspeito encaminhado á unidade ontem, Raí de Souza, 22 anos, segue preso.

Já do lado de fora do complexo penitenciário, Lucas falou rapidamente com jornalistas que o aguardavam. Ele disse que pretende voltar à rotina e jogar futebol. "Bola pra frente! Está provado que sou inocente. Vou retomar minha carreira", declarou.

Lucas Perdomo Duarte Santos%2C de 20 anos%2C deixou o complexo penitenciário de Bangu nesta sexta. O jogador é investigado no caso de estupro coletivo de uma jovem de 16 anosEstefan Radovicz / Agência O Dia

Sílvio César Duarte ficou visivelmente emocionado com a soltura do filho e disse que, a partir de agora, terá controle mais rígio sob o rapaz. "Baile funk de novo, nunca mais. Agora é jogar bola e retomar a carreira", afirmou. Segundo ele, o jovem seguirá jogando no Boavista.

Titular da Delegacia da Criança e Adolescente Vítima (DCAV), a delegada Cristiana Bento pediu à Justiça nesta quinta-feira o relaxamento da prisão temporária de Lucas. Segundo ela, o jogador de futebol continuará sendo tratado como envolvido no caso de estupro coletivo, no entanto, sem a necessidade de mantê-lo preso.

Raphael foi levado para presídio

Outro suspeito de participar do estupro coletivo da adolescente, Rafael Assis Duarte Belo, de 41 anos, foi transferido da carceragem da Polintar para o complexo penitenciário de Bangu na tarde desta sexta-feira. Ele se entregou à polícia na quarta-feira e negou envolvimento no crime.

Mais dois suspeitos tiveram a prisão decretada, informou a Polícia Civil. Outros três suspeitos já eram considerados foragidos no caso: Marcelo Miranda Correa, Michel Brasil da Silva e Sérgio Luiz da Silva Júnior.

Últimas de Rio De Janeiro