Enfim, o VLT abre as portas ao público

Transporte de passageiros começa neste domingo, da Praça Mauá ao Santos Dumont, sem cobrança da tarifa de R$ 3,80

Por O Dia

Rio - Neste domingo, às 9h30, o transporte público no Centro da cidade dá um passo para entrar nos trilhos. O Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) recebe seus primeiros passageiros para uma volta pela nova Avenida Rio Branco, que ganhou espaço de convivência exclusivo para pedestres, ciclistas e, claro, os bondes do século 21, ao longo de um caminho cercado de prédios históricos.

Para a viagem inaugural, a Avenida Rio Branco será fechada integralmente das 8h às 18h e se transformará em uma grande área de lazer para os cariocas. A primeira “linha” do VLT ligará a Rodoviária Novo Rio ao Aeroporto Santos Dumont, mas o trecho inaugurado hoje será menor: da Parada dos Museus, na Praça Mauá, até o aeroporto. Durante as primeiras semanas de funcionamento, a operação será expandida gradativamente, em oito ciclos, até alcançar o trecho Rodoviária-Santos Dumont no início de agosto, antes dos Jogos Olímpicos. Os passageiros só terão de pagar a tarifa de R$ 3,80 a partir do dia 1º de julho.

Os veículos circulam%2C em testes%2C sem passageiros%2C há semanasEstefan Radovicz / Agência O Dia

Na primeira semana, os VLTs circularão de meio-dia às 15h, de segunda a sexta-feira, com intervalos de 30 minutos inicialmente. Neste domingo, o funciona até as 15h. As paradas de embarque e desembarque neste momento serão: Parada dos Museus (na Praça Mauá), São Bento, Candelária, 7 de Setembro, Carioca, Cinelândia, Antônio Carlos e Santos Dumont.

A cada um dos oito ciclos, o horário e trecho do serviço serão ampliados. Ao final do processo, a “linha” Rodoviária Novo Rio vai funcionar das 6h à meia-noite, com oito composições e intervalos de 15 minutos.
Na operação plena, prevista para 2017, o transporte funcionará 24 horas, com 32 trens, capacidade para 300 mil pessoas e máquinas de autoatendimento para a compra de bilhetes em todas as paradas (abertas e sem roletas) e estações (apenas três, com estrutura fechada e roletas).

Segundo a prefeitura, o avanço da operação em ciclos tem como objetivo fazer com que a população se acostume à movimentação dos bondes. “A prioridade é garantir segurança aos futuros passageiros”, explicou, em nota.

Com 14,4 mil metros quadrados, o novo Passeio Público da Avenida Rio Branco alterou uma das avenidas mais movimentadas do Centro, entre a Avenida Nilo Peçanha e a Rua Santa Luzia. O local ganhou 35 árvores, 1.620 m² em canteiros verdes, bicicletários, 70 bancos e nova iluminação pública.

Últimas de Rio De Janeiro