Guia ajudará famílias a tratar das burocracias após morte de parentes

Com lançamento previsto para esta quarta-feira, 'Cartilha do Luto' será gratuita e terá orientações práticas e jurídicas

Por O Dia

Rio - A dor de Luciene Silva, de 50 anos, mãe de Raphael Silva Couto, 17, morto em uma chacina na Baixada Fluminense em 2005, foi grande não só pela perda. “A investigação da Justiça sobre o caso só foi rápida por causa da intervenção da imprensa. A ajuda do estado não veio como deveria. Quem ajudou foi o município”, disse. Um guia que será lançado nesta quarta-feira vai ajudar famílias a tratar das burocracias após a morte de um parente, principalmente as vítimas de violência no Rio.

A chamada ‘Cartilha do Luto’ será gratuita e conterá orientações práticas e jurídicas. “Será um guia para consulta nos momentos difíceis”, diz Márcia Noleto, presidente do Instituto Mães Sem Nome, que desenvolveu o projeto junto com a Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Em forma de perguntas e respostas, a publicação traz informações desde procedimentos junto ao Instituto Médico-Legal (IML), funeral, enterro e cremação, até como dar entrada em benefícios, alvará, inventário e como acionar uma seguradora e requerer direitos previdenciários. “Essa cartilha vai mapear melhor as famílias que passarem por essa situação de desconforto. Vai ser um apoio”, disse Luciene.

Últimas de Rio De Janeiro