Para sindicato, reforço no Centro deveria ser feito por guardas municipais

Segundo o diretor jurídico do Sisep, Frederico Sanches, o custo seria menor

Por O Dia

Rio - A prefeitura do Rio anunciou, na semana passada, um reforço de policiamento na região central da cidade, com ajuda dos agentes da Operação Segurança Presente, a mesma que atua na Lagoa, no Aterro do Flamengo, na Lagoa e no Méier. A iniciativa terá um investimento anucla de R$ 47 milhões. No entanto, para o Sindicato dos Servidores do Rio de Janeiro (Sisep-Rio), a segurança deveria ser feita pelos aprovados no concurso da Guarda Municipal.

?LEIA MAIS: Mais de 500 agentes irão reforçar a segurança na área central do Rio

Segundo o diretor jurídico do órgão, Frederico Sanches, o efetivo seria suficiente para fazer o reforço e o custo não seria alto. “O prefeito Eduardo Paes virou as costas para os guardas e os aprovados, além de não obedecer a Lei 13022 que assegura o porte de arma”, pontua o diretor jurídico, que recebeu relatos de aprovados.

De acordo com o sindicato, os aprovados do concurso de 2012 ainda não foram chamados para as mais de duas mil vagas abertas pela Guarda Municipal. No fim de 2014, o órgão convocou 370 aprovados para a penúltima etapa, e desde então não receberam mais notícias da corporação.

Últimas de Rio De Janeiro