Delegado afastado de caso de estupro pede para sair do cargo

Atual delegada titular da 33ª DP, Daniela Terra, entrará no lugar de Alessandro Thiers

Por O Dia

Rio - O delegado Alessandro Thiers, da Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI), pediu para deixar o cargo, na noite desta terça-feira. A informação foi confirmada pelo diretor geral das Delegacias Especializadas, Ronaldo Oliveira. Quem entrará no lugar será Daniela Terra, atual delegada titular da 33ª DP (Realengo). A saída dele ocorre nove dias após ser afastado das investigações sobre o estupro coletivo contra uma adolescente de 16 anos, na Praça Seca, na Zona Oeste. 

LEIA MAIS

MP manda investigar delegado afastado de caso de estupro coletivo

?Delegado é afastado do caso de estupro coletivo e DCAV assume investigações

O promotor Homero das Neves Filho, titular da 23ª Promotoria de Investigação Penal do Ministério Público, determinou, na última quarta-feira, que Thiers fosse investigado por crime previsto no Estatuto da Criança e do Adolescente, que submete criança ou adolescente a vexame ou constrangimento. A pena varia de seis meses a dois anos de prisão. 

O promotor ainda pediu o depoimento de todos os policiais que atuaram nas investigações, da mãe da vítima e da advogada que acompanhou os depoimentos na DRCI. A Polícia Civil ainda não se pronunciou sobre o caso. 

Na ocasião, a Polícia Civil informou que "a medida visou evidenciar o caráter protetivo à menor vítima na condução da investigação, bem como afastar futuros questionamentos de parcialidade no trabalho".

No documento expedido nesta quarta-feira, o promotor destacou que a conduta do delegado durante a investigação do estupro de uma adolescente foi amplamente noticiada pela imprensa e que, portanto, é “imperioso apurar os fatos”.

Últimas de Rio De Janeiro