Operação combate o tráfico e o roubo de cargas na Baixada Fluminense

Ação da Polícia Civil e Ministério Público visa o cumprimento de mandados de prisão preventiva contra 63 pessoas

Por O Dia

Rio - A Polícia Civil e o Ministério Público realizam uma grande operação, na manhã desta quinta-feira, para combater o tráfico de drogas e o roubo de cargas em municípios da Baixada Fluminense. Batizada de Castelo de Areia, a ação tem como objetivo cumprir mandados de prisão preventiva contra 63 pessoas acusadas de formação de quadrilha, associação para o tráfico, colaboração com o tráfico, comércio ilegal de arma de fogo, roubo e receptação. Também estão sendo cumpridos mandados de busca e apreensão.

De acordo com o Ministério Público, os criminosos atuavam na venda e na distribuição de maconha e cocaína para a região. Duas denúncias revelam que eles eram especializados no roubo e receptação de mercadorias, tendo se articulado em mais de uma ocasião para roubar produtos cosméticos das empresas Natura, Jequiti e Belcorp, avaliadas em cerca de R$ 32 mil.

LEIA MAIS:

Prefeitura de Queimados firma parceria com a PM para reduzir violência

Nilópolis estuda decretar estado de emergência para aumentar efetivo

São João de Meriti decreta estado de emergência por conta da violência

População de municípios da Baixada sofre com aumento de crimes

Guerra do tráfico assusta moradores de bairros de São João de Meriti

Ainda segundo a denúncia, um dos receptadores comprava preferencialmente carga de cigarros para revendê-la em seu próprio estabelecimento comercial, chamado “Adega do Curió”, localizada em Nilópolis.

Durante quatro meses, agentes da 64ª DP (Vilar dos Teles) conseguiram identificar as principais lideranças das quadrilhas envolvidas no esquema. Elas são ligadas à facção criminosa chefiada por Márcio dos Santos Nepomuceno, o “Marcinho VP”.

Cerca de 250 policiais civis participam da ação, coordenada pelos delegados Roberto Cardoso e Moyses Santanta, da 64ª DP. A operação conta ainda com apoio dos departamentos gerais de polícia da Baixada Fluminense (DGPB), da Capital (DGPC), Especializada (DGPE), do Interior (DGPI), além da Coordenadoria de Recursos Especiais (CORE). O Ministério Público participa através do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco).

Últimas de Rio De Janeiro