Policiais são investigados por roubo de 35 armas da PM

Informação é do deputado estadual Carlos Minc, presidente da CPI das Armas na Alerj

Por O Dia

Cinco policiais estão presos pelo sumiço das 35 pistolas do QG%2C no CentroErnesto Carriço / Agência O Dia

Rio - Cinco policiais militares estão presos administrativamente para serem investigados pelo sumiço de 35 pistolas do arsenal do Quartel-General da Polícia Militar, no Centro, no último dia 29 de maio. A informação é do deputado estadual Carlos Minc, presidente da CPI das Armas da Alerj, que cobrou explicações da PM sobre a especificação do armamento, quem está à frente do Inquérito Policial Militar (IPM) instaurado e se o paiol era monitorado. Segundo Minc, os PMs foram presos na terça ou quarta-feira desta semana.

O caso veio à tona 18 dias após a divulgação de imagens que mostram um homem entrando de carro, sem ser abordado, no Batalhão de Choque da PM, no Estácio, dia 28 de outubro de 2014. Na ocasião, 29 armas foram levadas do quartel. Sete PMs foram punidos, mas até hoje o IPM aberto não conseguiu identificar o veículo e o criminoso.

De acordo com Minc, a comissão recebeu denúncia do furto na Reserva Única de Material Bélico do QG, feita por um PM, dois dias depois do fato. O parlamentar oficiou o comandante-geral, coronel Edson Duarte dos Santos Júnior, pedindo esclarecimentos. A PM confirmou que investiga o caso, mas não respondeu sobre a especificação do material furtado, o responsável pelo IPM e se havia monitoramento por câmera.

“É uma situação muito grave, que demonstra extrema fragilidade. Não foi um furto em qualquer quartel. Foi no QG da PM, onde funciona o comando geral e o Estado Maior da corporação. Não há controle, monitoramento sobre essas armas, compradas com o dinheiro público. Muitas delas podem estar agora nas ruas e podem matar civis e até policiais”, afirmou o deputado.

De acordo com Minc, a denúncia foi encaminhada ao Ministério Público, que vai investigar o sumiço das 35 armas do QG. Segundo ele, a CPI das Armas vai oficiar a Corregedoria da PM e continuará acompanhando o caso. Em nota, a assessoria de imprensa da PM informou que a investigação está a cargo da Corregedoria Interna, confirmou que cinco PMs estão presos administrativamente por 72 horas e que diligências estão sendo feitas para recuperar as armas.

Segundo levantamento da CPI das Armas, de 2005 a 2015, 650 armas foram extraviadas da Polícia Militar, 1.040 da Polícia Civil e 7.500 de empresas de segurança privada, totalizando 9.190.

Últimas de Rio De Janeiro