Praça Varnhagen é inaugurada com atraso

Grades que cobrem galeria pluvial estão soltas e representam risco

Por O Dia

Rio - Depois que o prefeito Eduardo Paes inaugurou ontem a Praça Varnhagen, na Tijuca, com o reservatório de águas pluviais para minimizar as inundações na região, os moradores se assustaram ao perceber que as grades que tampam o “piscinão” estavam desniveladas e trepidavam quando caminhavam em cima. Abaixo dos pés, a profundidade é de até 22 metros, equivalente a um prédio de seis andares.

Grades não foram fixadas umas nas outras e balançam quando as pessoas pisam%2C provocando medoSandro Vox / Agência O Dia

A idosa Inez Lima, de 72 anos, que pisava firme sobre os ralos de drenagem para alertar que as grades estavam balançando, classificou como “tragédia anunciada”. “Correram pra terminar essa obra. Ontem à noite (sábado), tinha pra mais de 200 operários trabalhando. Sabe o que é isso? Eleições e Olimpíadas que estão aí e tem que mostrar trabalho”, criticou. Prometida para a Copa de 2014, a obra foi inaugurada com dois anos de atraso.

A Secretaria Municipal de Saneamento e Recursos Hídricos afirmou que “as grades foram instaladas de acordo com as normas técnicas de engenharia, sendo necessária uma operação especial para removê-las manualmente, já que cada placa pesa cerca de 350 quilos”.

O pré-candidato a prefeito Pedro Paulo Carvalho (PMDB) participou da inauguração, mesmo não sendo mais secretário municipal de Coordenação de Governo.Na estreia do VLT, o juiz Marcelo Rubioli, do Tribunal Regional Eleitoral, gravou vídeo para denunciar ao Ministério Público. Segundo o magistrado, a presença do político representa uso da máquina pública para benefício eleitoral. A assessoria de Pedro Paulo diz que, até três meses antes das eleições, qualquer político, mesmo que pré-candidato, pode comparecer a inauguração de obras públicas. Já a assessoria do prefeito não comentou.

Barricada feita com sacos de areia não conseguiu conter as ondasAgência Brasil

Mar derruba grades de obra olímpica

A força das ondas do mar carioca surpreendeu a organização da Olimpíada ontem e derrubou as grades de proteção de duas instalações dos Jogos na Praia de Copacabana: a arena de vôlei e o estúdio de TV que fornecerá imagens das competições para o mundo.

Na arena de vôlei, barreiras de areia de mais de dois metros já tinham sido erguidas para proteger a área, mas a água avançou em parte do canteiro. Na sexta-feira, a obra foi embargada pela prefeitura depois que o Comitê Organizador não conseguiu uma licença da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, o que deve ser resolvido nesta segunda.

A empresa OBS, responsável pela torre de TV, informou que não foram provocados danos no estúdio, apenas à vedação temporária que serve para impedir a entrada de pessoas. Segundo os organizadores, as ondas não afetaram a estrutura da arena.

Últimas de Rio De Janeiro