Delegada pedirá revogação da prisão de dois suspeitos de estupro coletivo

Segundo a polícia, não foram descobertas provas contra Marcelo da Cruz e Michel Brasil, que ainda estão foragidos

Por O Dia

Rio - A delegada Cristiana Onorato Bento, que investiga o caso de estupro da adolescente de 16 anos no Rio, disse, nesta segunda-feira, pedirá a revogação da prisão temporária de dois acusados de participar do crime. De acordo com a titular da Delegacia da Criança e Adolescente Vítima (DCAV), não foram descobertas provas contra Marcelo da Cruz Miranda Correa, de 18 anos, e Michel Brasil da Silva, de 20, em relação ao estupro.

Os dois suspeitos, que estão foragidos, são acusados de divulgar em redes sociais vídeos em que a vítima aparece desacordada e nua. "Isso (a revogação das prisões, no caso de a Justiça concordar com a delegada) não vai impedir que eles continuem sendo investigados e sejam condenados na esfera penal por espalhar esses vídeos. Mas este crime não justifica uma prisão temporária", disse ela.

Jovem foi vítima de estupro coletivo na Praça SecaReprodução TV Globo

A delegada afirmou que já tem provas suficientes para indiciar pelo crime de estupro os acusados Raí de Souza, de 22 anos; Raphael Belo, de 41, e os traficantes Perninha e Moisés de Lucena, o Canário. Raí foi reconhecido pela bermuda que vestia em uma filmagem, feita em seu celular. Raphael fez a foto selfie com a adolescente nua e tocou em suas partes íntimas nas filmagens. Canário foi reconhecido pela vítima.

LEIA MAIS

Mais de uma pessoa levou jovem para casa onde ocorreu estupro, diz polícia

?Polícia localiza casa onde vítima de estupro esteve antes de ser violentada

?Delegado afastado de caso de estupro pede para sair do cargo

Perninha, cujo nome não foi revelado pela delegada, teria sido o responsável pelas gravações. Policiais disseram já ter pistas de seu paradeiro.

Últimas de Rio De Janeiro