Sindicato vai recorrer de aumento de multa por greve de professores

Justiça dobrou de R$ 50 mil para R$ 100 mil o valor diário por descumprimento. 'Fomos notificados, vamos recorrer'

Por O Dia

Rio - O Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação do Rio (Sepe) disse, na manhã desta terça-feira, que vai recorrer da decisão do presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJ-RJ), desembargador Luiz Fernando Ribeiro de Carvalho, de dobrar o valor da multa por conta da greve dos professores do estado.

Segundo Martha Moraes, coordenadora do Sepe, a greve continua valendo por conta de todas as reivindicações que não foram cumpridas pelo estado e que a paralisação não é ilegal. "Fomos notificados, vamos recorrer. O jurídico vai tomar todas as medidas cabíveis. Entretanto, nós temos uma liminar que impede o corte de ponto e nossa greve não é considerada ilegal, não houve este julgamento", disse em entrevista ao Bom Dia Rio, da TV Globo.

Professores estão em greve desde o dia 2 de marçoDivulgação

De acordo com a coordenadora, uma assembleia está marcada para a próxima quinta-feira, às 11h, para analisar este e outros fatos relacionados à greve. Ela espera que o estado atenda às reivindicações dos grevistas. "Esperamos que o governo tome uma decisão, pois não é interesse de ninguém estar em greve."

A partir da decisão do presidente do TJ, a multa passou de R$ 50 mil para R$ 100 mil. O sindicato também foi intimado a manter 70% do total de professores em cada unidade de ensino. A greve dos professores começou no dia 2 de março. 

LEIA MAIS

Professores votam por continuação de greve que já dura mais de três meses

?Wagner Victer deixa prédio de secretaria sem acordo com estudantes

?Alunos da rede estadual podem ter que estudar em janeiro e fevereiro

A medida foi tomada um mês após a realização da audiência de conciliação entre representantes do governo e dos professores, sem que houvesse uma composição amigável na causa.

Últimas de Rio De Janeiro