Collor é o senador que mais usou verba pública para empregar funcionários

Ao todo, são 79 pessoas à disposição do ex-presidente da República em seu gabinete: 24 a mais do que o permitido

Por O Dia

Rio - Fernando Collor de Mello (PTC-AL) é o senador que mais usou verba pública para empregar funcionários em seu gabinete este ano. Ao todo são 79 pessoas à disposição do ex-presidente da República: 24 a mais que o permitido pelo regulamento do Senado.

Collor conta ainda com o auxílio de três motoristas com salários de até R$ 7,4 mil, o que também infringe o regulamento, que prevê o uso de apenas um. A quantidade de funcionários no gabinete de Collor é mais que três vezes superior à média dos outros senadores, que é de 23 empregados.

Comissão
Ao todo são 69 funcionários comissionados (com salários de até R$ 18,9 mil), seis efetivados, três estagiários e um terceirizado. Os dados foram obtidos no Portal da Transparência do Senado.

Sem resposta
Procurada no fim da tarde de ontem, a assessoria do senador Fernando Collor não explicou por que o número de empregados no gabinete do senador é tão elevado.

Medalha de prata
Com 63 funcionários, Hélio José (PMDB-DF) é o segundo senador com o gabinete mais povoado.

Medalha de bronze
O também peemedebista João Alberto Souza -MA vem na terceira colocação, com 52 funcionários lotados no gabinete.

‘Os que funcionam’
Ao falar sobre a invasão de criminosos ao Hospital Municipal Souza Aguiar, no Centro, o prefeito Eduardo Paes, nas entrelinhas, disparou uma farpa em direção ao governo estadual. “Não dá para expor profissionais de saúde nos hospitais da prefeitura, que são os que funcionam, para passarem pelo que passaram.”

Realidade
Ou seja, deu a entender que os hospitais administrados pelo estado são praticamente inoperantes.

Socialites e artistas em pânico

A prisão de Gaetano Maffizzoli, acusado de fornecer drogas para hóspedes do Hotel Fasano, está deixando socialites e artistas em pânico. É que desde a prisão dele, no dia 25 de maio, a polícia começou a investigar a agenda de contatos do prestador de serviços. E nela, havia muitas celebridades. Todos estão temerosos com a divulgação dos nomes. Gaetano tinha livre acesso ao Fasano e entregava a droga no local a seus clientes. Segundo a polícia, a cocaína fornecida por ele era considerada a melhor da Zona Sul do Rio.

Últimas de Rio De Janeiro