Comandante do batalhão responsável por região do Souza Aguiar é exonerado

O subcomandante do batalhão e o chefe de Operações do Comando Regional também foram desligados

Por felipe.martins , felipe.martins

Rio - Dois dias depois da ação cinematográfica de criminosos no Hospital Municipal Souza Aguiar, o comandante geral da Polícia Militar, coronel Edison Duarte dos Santos Júnior, decidiu, no final da tarde desta terça-feira, exonerar o comandante do 5º BPM, tenente coronel Wagner Guerci Nunes. A decisão foi tomada depois do encontro de Duarte com o secretário de Segurança Pública, José Mariano Beltrame.

O subcomandante do batalhão e o chefe de Operações do Comando Regional também foram exonerados. 

Em nota, o comandante geral informa que determinou também "a revisão de todos os protocolos relacionados a custódia dos presos em hospitais, de forma que haja maior rigor no controle e acompanhamento da situação". 

Beltrame prometeu investigar ação de PMs

Na segunda-feira, o secretário de Segurança Pública do Rio, José Mariano Beltrame, afirmou que a ação dos PMs que faziam a custódia do traficante Nicolas Labre Pereira de Jesus, o Fat Family, será investigada.

Secretário de Segurança Beltrame prometeu investigar ação de PMsMárcio Mercante / Agência O Dia

Na madrugada deste domingo, entre 10 e 15 homens armados invadiram o Hospital Municipal Souza Aguiar, no Centro, para resgatar o suspeito. Na ocasião, um homem morreu e outros dois ficaram feridos. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, o enfermeiro Júlio César dos Santos Basílio, uma das vítimas, passou por uma cirurgia e o estado de saúde é estável.

Beltrame disse ainda que vai pedir a transferência de 11 traficantes para um presídio de segurança máxima. Entre eles, Leonardo Carlos da Silva, conhecido como Léo da Kelson, que atua no Kelson's; Davi da Conceição Carvalho, o Davi do Final Feliz, que é do Complexo do Chapadão; Marcelo da Silva Guilherme, o "Marcelinho dos prazeres", do Morro dos Prazeres e Escondidinho; Wilson Ferreira Cardozo, o "Bacalhau", do Morro da Providência; Paulo César Souza dos Santos, o "Paulinho Muleta", do Fallet Fogueteiro; Edson Ferreira Firmino de Jesus, o "Zaca", do Morro dos Prazeres e Escondidinho; e Aleksandro Rocha da Silva, o "Sam da Caicó", do Morro da Cocanha.  

Além disso, estão entre eles Marcelo Fonseca de Souza, o "Marcelo Xará"; Isaias da Costa Rodrigues, o "Isaias do Borel"; Sandro Batista Rodrigues, o "Naíba"; e Márcio Gomes de Medeiros Roque, o "Marcinho do Turano". 

Segundo o secretário, todos seriam da facção que Fat Family. Além disso, ele sugeriu que fosse criado um "hospital de campanha", ao lado do Souza Aguiar, reservado apenas aos pacientes sob custódia, para que os médicos e os outros pacientes da unidade.

Perícia recolhe 38 cápsulas no hospital


A perícia de local recolheu 38 cápsulas de diferentes calibres no Hospital Souza Aguiar, após o tiroteio na madrugada de domingo. Os calibres recolhidos foram 15 de fuzil 762, 18 de pistola ponto 40 e 5 de pistola 9 mm. Todos os disparos ocorreram no pátio da unidade, quando os criminosos estavam saindo da unidade após libertarem o preso.


Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia