Servidores protocolam pedido de impeachment contra Dornelles

Integrantes do Muspe enviaram documento, nesta quinta-feira, na Alerj. Funcionários estão em greve

Por O Dia

Rio - Os servidores estaduais protocolaram um pedido de impeachment contra o governador em exercício, Francisco Dornelles, na tarde desta quinta-feira, por crime de responsabilidade por não destinar investimentos necessários para a educação e a saúde. O documento foi entregue pelos profissionais e integrantes do Movimento Unificado dos Servidores Públicos do Estado (Muspe) ao departamento de protocolos da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj).

LEIA MAIS

Professores protestam em frente à casa do governador em exercício do Rio

?Governo publica medida provisória que libera R$ 2,9 bilhões para o Rio

De acordo com um dos representantes do Muspe, Alzimar Andrade, o decreto de estado de calamidade pública, que foi publicado no Diário Oficial na última sexta-feira, é inconstitucional e prejudica a população. O presidente do Sindicato dos Trabalhadores do Poder Judiciário (SindJustiça) afirmou ainda que os R$ 2,9 bilhões que o Estado recebeu do governo federal irão apenas para as Olimpíadas.

Servidores protocolam pedido de impeachment contra Francisco DornellesDivulgação

"Ele tem repassado menos verba para saúde e educação do que a Constituição prevê. A gente exige que ele gaste essa verba do governo federal para os servidores, na saúde, segurança e educação. O estado tem inflado os cargos comissionados, sem concurso", explicou Alzimar.

Professores protestam em frente à casa de Dornelles

Endereço da residência do governador em exercício, a Rua Itaipava, no Jardim Botânico, Zona Sul, foi renomeada, nesta quinta-feira. Em ato encabeçado por cerca de 40 professores da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), a via recebeu a seguinte denominação: "Rua do Calote". O termo faz referência aos atrasos no pagamento de salários e também de repasses para a instituição. Devido à greve dos docentes, alunos da Uerj ainda não tiveram uma sequer aula neste ano.

Durante o protesto, até uma placa com o rosto do governador foi afixada em um poste que fica em frente ao prédio de número 18, com o objetivo de alertar aos moradores da região sobre a "mudança" no nome da via. O ato desta quinta-feira foi organizado pela Associação de Docentes da Uerj (Asduerj), com a intenção de surpreender o governador.

"Chegamos por volta das 6h30 e ficamos esperando o Dornelles aparecer para tomar um café com ele, mas o governador passou direto e não nos recebeu. Ele deu apenas um 'tchauzinho' de dentro do seu carro e foi embora com o Ademário (seu motorista)", reclamou o diretor da Asduerj, Paulo Alentejano. Ontem, a frase 'Vamos embora, Ademário' viralizou nas redes sociais. Isto porque, ao ser questionado por repórteres sobre o destino dos R$ 3 bilhões doados pelo governo federal, o governador não soube dar uma resposta, pedindo ao seu motorista que deixasse o local. "Estamos lutando pelo pagamento de nossos salários. Neste mês, só recebemos a metade. Dornelles prioriza as Olimpíadas e se esquece da educação", criticou Paulo Alentejano.

Últimas de Rio De Janeiro