TCE apura aumento no número de terceirizados contratados pelo Inea

Entre 2014 e 2015, houve aumento de 921,3%. No período, houve redução de 26,4% nos demais setores da administração

Por O Dia

Rio - O Tribunal de Contas do Estado apura o aumento de 921,3% no número de funcionários terceirizados contratados, entre os anos de 2014 e 2015, pelo Instituto Estadual do Ambiente (Inea), vinculado à Secretaria do Ambiente. No período, houve redução de 26,4% nos demais setores da administração estadual.

Os dados fazem parte do relatório produzido pelo Ministério Público Especial que aprovou as contas do governo com ressalvas. A Secretaria-Geral de Controle Externo tem até novembro para concluir a investigação.

Contas erradas
O governo atribui o aumento a um erro de contabilidade envolvendo guardas de parques. “O pagamento de terceirizados foi registrado, em 2014, sob a rubrica ‘subsídio de mandato eletivo’, daí a confusão. Essa nota de esclarecimento foi registrada pelo conselheiro (Domingos) Brazão”, diz André Corrêa, secretário do Ambiente.

Redução
A secretaria afirma que no período houve redução de terceirizados: de 202 para 187 contratados.

Recepção dos trens
A Secretaria Estadual de Transportes contratou por R$ 395,6 mil o engenheiro Malcom Lunau para prestar serviço de consultoria. Ele fará “análise de projeto, inspeção da produção e recebimento” de 12 novos trens adquiridos pelo estado. A grana vem de empréstimo obtido junto ao Banco Mundial. A homologação da licitação foi publicada no Diário Oficial de ontem.

Papou mosca
Michel Temer riu de orelha a orelha ontem quando Dilma Rousseff postou no Twitter crítica ao não pagamento do reajuste do Programa Bolsa Família (PBF). É que ela ainda não tinha visto a agenda do presidente em exercício: divulgada às 9h, ela previa justamente o anúncio do reajuste do PBF, que foi de 12,5%.

Igualdade de gênero

Projeto coordenado pelo Instituto Promundo que discute a igualdade de gênero entre beneficiários do Bolsa Família parece dar resultado. Antes das atividades, que duraram três anos no Rio e em Recife, 25% dos homens afirmavam que cuidar dos filhos era tarefa exclusivamente da mulher. Ao final do projeto, este número caiu para zero. Já 35,5% dos homens afirmavam que as principais funções das mulheres são cuidar da casa, dos filhos e cozinhar. Depois do projeto, que tem a parceria da ONU Mulheres, o número caiu para 22%.

Últimas de Rio De Janeiro