Vídeo: Taxista incita violência a quem trabalha de Uber. 'Tacar fogo, queimar'

Em discurso inflamado, ele diz não ter medo de ser preso ou perder permissão. Polícia investiga o caso e SMTR acompanha

Por O Dia

Rio - Um vídeo que está sendo compartilhado nas redes sociais e recebido pelo WhatsApp do DIA (98762-8248) mostra um taxista discursando com o auxílio de um microfone e incitando outros taxistas a praticarem violência contra motoristas que trabalham para o Uber. No discurso inflamado e apoiado por outros profissionais, ele fala na criação de um grupo operacional para atacar "Ubers".

“Quando vocês falaram que ia ter reunião, o meu grupo foi lá pro aeroporto. Expulsamos todos os 'ubers' que tavam lá. Pode ir lá que você vai ver. Hoje, tiramos todo mundo de lá. O grupo que estava comigo, aí falaram que viriam pra cá. Vou deixar bem claro pra vocês: no momento em que vocês decidirem que precisam de um grupo operacional que vá tacar fogo, queimar, f..., que não tenho medo de entrar em cana. Não tenho medo de perder permissão. No momento que vocês falar isso, boto os caras junto com vocês. Entendeu? Tá aí. Um montão de gente, um montão de táxi. (SIC)", diz o homem, aplaudido pelo grupo. 

Ele justifica a violência e diz que eles estão lutando por direitos. Ele inclusive diz que levava material no seu veículo para atacar os motoristas do serviço. "Os 'Ubers' são uns babacas, idiotas e medrosos. Nós somos profissionais. Estamos lutando pelos nossos direitos. Se for dessa forma, vou participar ativamente desse grupo , operacionalmente. É agredindo, virando, tacando fogo. To cheio de fagulha no meu carro que era para tacar fogo, meu irmão. É isso que eu quero, atitude de homem."

Segundo o delegado Gilberto da Cruz Ribeiro, da Delegacia do Consumidor (DECON), o vídeo foi incluído na investigação que já está em andamento que apura ameaças sofridas por motoristas de Uber, aberta após uma petição feita por um representante da empresa. Os agentes tentam identificar os homens nas imagens e diligências são realizadas para apurar o crime. 

Procurada,  a Secretaria Municipal de Transportes (SMTR) disse que nenhuma denúncia formal havia sido feita através da ouvidoria da SMTR. A pasta disse que vai aguardar a conclusão da investigação policial a fim de que os responsáveis sejam identificados.

Se as pessoas identificadas forem taxistas, a secretaria abrirá processo administrativo de cassação das autorizações, uma vez que má conduta fere o Código Disciplinar dos Táxis. A SMTR faz um apelo para que qualquer irregularidade seja denunciada ao 1746.

Em nota, o Uber disse que considera inaceitável o uso de violência. Segundo o serviço, todo cidadão tem o direito de escolher como quer se mover pela cidade, assim como o direito de trabalhar honestamente. O serviço disse possui um sistema para dar segurança tanto para o motorista quanto para o passageiro "antes, durante e depois das corridas".

A empresa disse que orienta os motoristas a não se envolverem em conflitos e em caso de ameaças e agressões, fazerem o registro na polícia. O Uber disse que não divulga números de motoristas agredidos e que isso é "um problema de segurança pública."

Últimas de Rio De Janeiro