Muros aumentaram força de ondas que derrubaram ciclovia, aponta laudo

Trecho desabou no dia 21 de abril e duas pessoas morreram

Por O Dia

Impacto das ondas sobre a ciclovia Tim Maia foi seis vezes mais forte do que a estrutura poderia suportarSandro Vox / Agência O Dia

Rio - O laudo da Coppe/UFRJ apontou que os muros construídos ao longo da Avenida Niemeyer, em São Conrado, na Zona Sul, aumentaram a força das ondas que atingiram a pista e derrubaram a ciclovia Tim Maia, no dia 21 de abril. Na ocasião, duas pessoas morreram.

As informações foram divulgadas nesta terça-feira, no telejornal RJTV. Segundo o laudo, não tinha uma ressaca típica e nem muito forte no dia do acidente. De acordo com os engenheiros, as muretas que ficam nos lados permitem que as ondas projetem "jatos", que ficam até maiores do que a própria onda. E esses jatos que atingiram a ciclovia.

Nesta segunda-feira, a Justiça Federal determinou que a Prefeitura do Rio e o consórcio Contemat-Concrejato interrompam imediatamente a reconstrução da ciclovia Tim Maia e proíbam sua utilização em qualquer trecho até que seja realizado um estudo de impacto ambiental que autorize a retomada da obra.

Em função do acidente, 14 pessoas foram indiciadas por homicídio culposo (sem intenção). Após um estudo de engenharia para identificar problemas da construção, a ciclovia começou a ter reconstruído o trecho desabado. A prefeitura previa que pudesse ser reaberta, na parte interditada, ao longo de agosto.

LEIA MAIS

Justiça determina que reconstrução de ciclovia seja interrompida

?MPF entra com ação civil pública para impedir reconstrução de ciclovia

Últimas de Rio De Janeiro