Servidor: Estado paga nesta quarta-feira salários e gratificações a policiais

O Regime Adicional de Serviço (RAS) e premiações do Sistema de Metas Integrado da PM e da Civil também serão pagos

Por O Dia

Rio - Os 154.433 servidores da Segurança Pública do Rio recebem ao longo desta quarta-feira o salário de junho, além dos pagamentos pendentes do Regime Adicional de Serviço (RAS) e premiações. Ao todo, o estado vai pagar R$ 912 milhões para o setor, sendo que o valor líquido dos rendimentos a serem quitados é de R$ 694 milhões. O governo também vai creditar R$ 218 milhões relativos ao RAS, Proeis e premiações das polícias Militar e Civil. Os pagamentos serão viabilizados pela ajuda financeira de R$ 2,9 bilhões do governo federal para a Segurança durante a Olimpíada.

Terão os seus salários creditados hoje servidores da PM (71.841 ativos e inativos), Polícia Civil (16.456 ativos e inativos), Corpo de Bombeiros (22.214 ativos e inativos), Secretaria de Administração Penitenciária (8.271 ativos e inativos) e Secretaria de Segurança Pública (788 ativos). Os 34.863 pensionistas dos órgãos também receberão seus rendimentos. O pagamento inclui ainda os 123 servidores da Fundação Santa Cabrini, que trabalha no processo de ressocialização de presos.

O pagamento foi confirmado ontem pelo governador em exercício Francisco Dornelles, que se reuniu (foto) com os ministros da Justiça, Alexandre Moraes, e Defesa, Raul Jungmann, no Palácio Guanabara, para tratar da segurança no Rio durante os Jogos Olímpicos.

DÉBITO QUITADO

As últimas definições para o pagamento de salário de junho e gratificações para a Segurança foram feitas ontem, em reunião no Palácio, com a presença do secretário de Planejamento, Francisco Caldas, e subsecretário de Gestão, Edson Teramatsu. Pouco depois, o estado anunciou o pagamento, incluindo os débitos do Proeis que antes não haviam sido citados.

COMISSÃO APROVA PEC 

Após polêmica que adiou a votação na Comissão de Emendas e Vetos da Alerj, a PEC 30/2016 foi aprovada ontem pelo colegiado. O texto adia para 1º de janeiro de 2018 o reajuste de servidores baseado no teto salarial de ministros do STF. De autoria dos deputados Luiz Paulo (PSDB) e Edson Albertassi (PMDB), a PEC posterga o impacto financeiro nos cofres estaduais.

Servidor: Pagamento de junho de policiais deve sair nesta quarta-feira

VOTAÇÃO NO PLENÁRIO

A PEC 30/2016 será votada semana que vem. O texto adia os reajustes de 85,22% (que seriam em 1º de julho) e 90,25% (em 1º de julho de 2017) para 1º de janeiro de 2018. A PEC também diz que o montante de valores não pagos até 31 de dezembro de 2017sejam restituídos em 12 parcelas mensais iguais a partir de janeiro de 2018.

DELEGADO E AUDITOR

Sindicatos de delegados de Polícia e auditores fiscais (afetados pela PEC) discutiram ontem com o presidente da Casa, Jorge Picciani (PMDB), o projeto e entraramem acordo mediante o pagamento retroativo. “Dornelles pediu compreensão para que os efeitos da garantia de remuneração das carreiras sejam adiados para 2018”, disse Picciani.

FRENTE PARLAMENTAR

O vereador Paulo Pinheiro (PSol) colheu 29 assinaturas para criar a Frente Parlamentar que apura as ações da prefeitura. O governo vem cortando benefícios de pensionistas e salário-família de servidores. “O objetivo é tentar esclarecer as últimas atitudes do governo, que cortou benefícios, e que são direitos alienáveis”, diz Pinheiro.

Últimas de Rio De Janeiro