Reclamar Adianta: Armadilha do cartão

Hoje, a taxa média cobrada gira em torno de 450% ao ano. Evite também fazer muitas compras parceladas

Por O Dia

Rio - Recorre-se ao cartão de crédito, na maioria das vezes, quando não se tem dinheiro na conta. A pesquisa do SPC aponta para isso. Cartão é conveniente, mas é necessário controle para não cair na armadilha das altas taxas de juros cobrados pelos bancos. Hoje, a taxa média cobrada pelos cartões gira em torno de 450% ao ano. Se for usar o cartão, tenha certeza de que poderá pagar o valor integral da fatura na data do vencimento, caso contrário é melhor deixá-lo em casa. Evite também fazer muitas compras parceladas, já que elas favorecem o descontrole financeiro. Cuidado também com os pequenos gastos, que acabam se transformando numa alta quantia no final do mês. Confira sempre a fatura do seu cartão e nunca — nunca — pague o valor mínimo! Uma fatura não paga de R$1.000 no cartão de crédito se transforma em uma dívida de mais de R$4.000 em apenas um ano! E cuidado com o número de cartões que você tem.

Inconvenientes

Todos os dias, até fins de semana e feriados, recebo insistentes ligações da Operadora Oi oferecendo produtos e serviços. Não tenho interesse. Queria que meus telefones fossem retirados da base de telemarketing. Fabio Tavares, Marechal Hermes.

A Oi entrou em contato com o cliente e informou que foi registrado o bloqueio de telemarketing para seus dois telefones como ele solicitou. Assessoria de Imprensa da OI.

Benefício

Em novembro de 2015 sua aposentadoria foi devolvida ao INSS. Até o momento não conseguiu receber o benefício. Quintino Teixeira da Silva – Trindade, São Gonçalo.

Informamos ao segurado que a competência 11/2014 foi corrigida e estará disponível para recebimento em 24/06/2016, no Banco Itaú em São Gonçalo - Agência Alfredo Backer. Assessoria de Imprensa da Previdência Social.

“Em época de crise a empresa tem que fazer do seu cliente um verdadeiro parceiro e entender suas necessidades, gerando satisfação no atendimento”, diz Hélio Cezar Donin Júnior, diretor da Donin ContabilidadeDivulgação

Vazamento de água

Reclama de um vazamento de água potável na esquina da Rua Tangerina com a Rua do Melão na Curicica. Já entrou em contato com a Cedae, mas o problema não foi resolvido. Eduardo César, Curicica – Jacarepaguá.

A Cedae informou que o vazamento foi reparado no dia 22 de junho. Assessoria de Imprensa da Cedae.

Alô, Cedae!

Há um vazamento na adutora que fica na Avenida Leopoldo Bulhões, após o número 34 no Canal do Cunha. João Batista da Silva – Benfica, Rio de Janeiro.

A Cedae informou que os reparos serão feitos durante o fim de semana, para evitar transtornos no trânsito.
Alô Cedae! Assessoria de Imprensa da Cedae.

Dúvidas frequentes

Com Carlos Eduardo Carvalho, especialista em direito de família

Carlos Eduardo Carvalho%2C especialista em direito de famíliaDivulgação

Morar junto é uma situação cada vez mais comum. Ao viver embaixo do mesmo teto, pode-se considerar que o casal vive em união estável. Segundo o advogado Carlos Eduardo Carvalho, especialista em direito de família, em caso de uma separação de fato, você poderá ter de arcar com pagamento de pensão alimentícia (caso o parceiro necessite) ou abrir mão de metade dos bens adquiridos no período de convivência comum, ainda que comprado exclusivamente com o seu salário. “Em caso de falecimento, o companheiro poderá ficar com uma parte maior de seu patrimônio do que seus demais herdeiros (filhos ou pais). Vale lembrar que não há mais prazo mínimo para união estável”. É possível fazer um contrato em cartório para definir o regime de separação de bens, evitando que vigore o regime de comunhão parcial, aplicado automaticamente se nenhum outro for registrado por escrito.

?Coluna de Átila Nunes

Últimas de Rio De Janeiro