'Criminosos contam com impunidade', diz delegado sobre caso de morte em Caxias

Homem foi executado na frente da mulher e do filho no estacionamento do Caxias Shopping, na Baixada Fluminense

Por O Dia

Rio - O delegado que investiga o caso do homem que foi executado na frente do filho e da esposa quando deixava o estacionamento do Caxias Shopping, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, se reuniu com a imprensa, nesta quinta-feira, para explicar como vão as investigações. Segundo Geniton Lages, delegado da Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense, não há dúvidas de que o crime foi uma execução. 

LEIA MAIS: Homem é executado na frente da mulher e do filho em Duque de Caxias

"Não há dúvidas de que tenha sido execução pela violência empregada. Foram muitos disparos. Eles [os bandidos], não estavam nem preocupados se poderiam acertar a criança e a mãe da criança. Na imagem está nítido que não usavam capuz porque eles contam com a impunidade", disse. Denivaldo era segurança do CT do Fluminense em Xerém. 

Homem foi executado na frente da mulher e do filho no estacionamento do Caxias Shopping%2C na Baixada FluminenseEstefan Radovicz / Agência O Dia

Sobre o fato dos criminosos estarem usando camisas da Policia Civil, conforme mostra as imagens do momento do crime (veja o vídeo abaixo), Lages afirma que é preciso investigar se os bandidos fazem realmente parte da corporação ou se compraram a camiseta. "Essas camisas são vendidas e ainda precisamos investigar mais para saber se a camisa é verdadeira ou manufaturada", comentou ele. Na cena do crime, também foram encontrados distintivos policias. Já sobre isso, Lages comentou que um distintivo é mais difícil de ser falsificado e que o material será analisado. 

A polícia já ouviu alguns conhecidos da vítima Denivaldo Meireles da Silva, de 41 anos. Os depoimentos colhidos apontam que Denivaldo pleiteava uma candidatura em um cargo público. Uma das linhas de investigação é o que o crime pode ter sido motivado por isso e a polícia investiga se há envolvimento de milícianos ou relação com a morte do pré-candidato a vereador, Berem do Pilar. "Nada foi roubado e quem executou Denivaldo sabia muito bem o que estava fazendo. A linha de investigação está aberta", disse Lages. 

LEIA MAIS: Pré-candidato a vereador é morto a tiros em frente de casa na BaixadaSobre a candidatura de Denivaldo, seu filho mais velho, que não quis se identicar, não confirmou que o pai pretendia se canditatar nas próximas eleições. Já a criança que estava no carro será ouvida pela polícia assim psicólogos forem escalados para acompanhar o depoimento da criança. 

Denivaldo Meireles da Silva, de 41 anos, a mulher, identificada como Andreia Ornelas Claudino, de 30, e o filho de 8 anos foram ao cinema do shopping para assistir um filme. Na saída, perto da cancela de saída do estabelecimento, dois homens começaram a realizar diversos disparos contra o carro de Denivaldo. Foram dados pelo menos 14 tiros em direção ao para-brisa do veículo e na vítima, que morreu na hora.




Últimas de Rio De Janeiro