Produtor alega 'liberdade artística' para gravação de sexo explícito no Recreio

Advogado alega que falta de autorização da prefeitura para filmagem pornográfica em local público não constitui crime

Por O Dia

Rio - O produtor e dono da agência de filmes pornôs Brad Montana vai alegar, em depoimento nesta sexta-feira, na 42ª DP (Recreio), que as gravações de sexo à luz do dia feitas por um casal de atores na Praia do Recreio não foram divulgadas com antecedência para a população. Segundo Rafael Faria, advogado da produtora, o fato de não haver autorização da prefeitura para o uso de espaço público para filmagem de sexo explícito não constitui crime. "Foi liberdade artística. Não podemos impedir a liberdade artística de acontecer".

'O que assistiam provocava deleite'%2C diz o diretor sobre as pessoas que viram a gravação do filmeReprodução Facebook

Na opinião do advogado, quem viu gravação de sexo explícito foi levado pela curiosidade, já que não houve divulgação prévia da gravação. "As pessoas não foram convidadas a assistir, elas se aproximaram porque foram curiosas. A produtora não alardeou as filmagens. O produtor buscou uma praia deserta justamente para impedir que as pessoas se aproximassem.".

Para o advogado, o produtor do filme é "vítima de acusações infundadas, hipócritas, preconceituosas e sem previsão legal", diz o comunicado. 


O fato de a produção não ter convidado as pessoas, não significa que elas não poderiam passar pelo local. A questão esbarra no direito de ir e vir do cidadão, que mesmo em uma área reservada, não deve ter seu direito cerceado. Moradores do Recreio comentaram o fato nas redes sociais. “É acidente, é assalto, é bala perdida e agora gravação de filme pornô, na Praia do Recreio. É o fim dos tempos”, disse um internauta.

Atriz de filme pornô está sendo ameaçada após filmagens 

A atriz pornô Nicolle Bittencourt contou que está sendo ameaçada após as cenas se espalharem na Internet. “Estou com medo de sair nas ruas e apanhar. Toda hora meu telefone toca e recebo ameaças. Falam que vão me esfaquear, picotar meu corpo, me estuprar”, contou. 

O produtor Brad Montana diz que pretendia gravar no estacionamento na Praia da Reserva, mas não conseguiu porque havia uma interdição no trecho Barra da Tijuca-Recreio para obras dos Jogos. “Estávamos na praia e fui a um dos poucos quiosques abertos naquele dia (quinta-feira passada). Expliquei tudo ao dono do quiosque e ele autorizou. Não havia nenhuma criança ou ninguém na praia circulando. Muito importante frisar que a cena foi gravada às 13h e que não havia banhistas e nem transeuntes nos arredores.” De acordo com ele, as imagens que acabaram nas redes foram feitas pela equipe de produção e três pessoas que estavam no local.

Segundo informações da 42ª DP (Recreio), um procedimento foi instaurado na unidade e investigações estão em andamento para apurar crime de ato obsceno.Filme pornô é gravado ao ar livre na Praia do Recreio

Últimas de Rio De Janeiro