Reclamar Adianta: Renegociação

Leia bem o contrato do financiamento. Confira as parcelas em aberto e calcule o que é possível você aceitar na negociação

Por O Dia

Rio - Como pagar uma dívida com um valor que caiba no orçamento? O caminho é renegociar, procurar o credor e acertar um parcelamento. A maioria topa. Ainda mais nos dias de hoje. Leia bem o contrato do financiamento (valor, juros e o valor das parcelas). Confira as parcelas em aberto e calcule o que é possível você aceitar na negociação. Faça a solicitação por escrito e dê prazo para resposta. Exija o Custo Efetivo Total, que envolve tudo que faz parte da cobrança. Caso a negociação não surta resultado pague a dívida em juízo. Isso só é cabível quando o credor cometer abusos: cobranças de altas taxas de juros, desobediência ao contrato ou quando o credor não quer receber o débito. O país está mergulhado numa crise econômica sem precedentes. A hora é agora. Cuidado apenas em aceitar condições que o seu orçamento não comporta.

Telefone mudo

Tenho um telefone fixo da Oi que só funciona metade do mês. Na metade seguinte fica mudo e fico sem o serviço. Há 3 anos o problema é constante. Já fui informada de que o problema são cabos, mas a empresa não providencia a troca! Vera Lucia Mandarino - Rio de Janeiro

A Oi entrou em contato com a cliente Sra. Vera Lucia em 22/06 e confirmou o bom funcionamento do telefone, após a solicitação de reparo. Assessoria de Imprensa da Oi

Lâmpada queimada

Na Rua Darci Vargas há um poste sem luz em frente ao número 360. Já liguei para a prefeitura, mas o problema não é resolvido. Peço providências! Osmar Pereira de Souza – São João de Meriti.

A Prefeitura de São João de Meriti informa que, em até dez dias, irá solucionar o problema com a iluminação pública na Rua Darci Vargas, altura do número 360, em Vilar dos Teles. Assessoria de Imprensa da Prefeitura de São João de Meriti

Autofalante dos trens

“É importante desconfiar de quem oferece soluções muito rápidas e fáceis, pois o nome não vai desaparecer miraculosamente dos cadastros de restrição ao crédito", disse Marcela Kawauti economista-chefe do SPC BrasilDivulgação

Utilizo os trens da Supervia diariamente, mas na estação de Santíssimo o sistema de autofalante não funciona há dois meses. Nós, usuários, ficamos perdidos, sem saber os horários de saída das composições. Luiz Manoel Soares – Rio de Janeiro

A Supervia informa: ‘Registramos furto de cerca de 600 metros de cabos do sistema de comunicação da estação Santíssimo, o que prejudica a transmissão das informações por áudio na estação. O material de reposição foi adquirido e o reparo será concluído até o fim do mês’. Assessoria de Imprensa da Supervia

Aparelho com defeito

Contratei junto à Sky um pacote com dois pontos de TV, mas apenas um está funcionando. Um técnico já foi à minha casa e constatou que o erro foi do instalador que colocou um aparelho com defeito. Cristiana Pacheco – Rio de Janeiro

A Sky entrou em contato com a cliente, que confirmou a visita técnica e a normalização das imagens. Devido o transtorno causado, foi concedido crédito no valor de R$ 89,90. Assessoria de Imprensa da Sky

Dúvidas frequentes

Com Bruno Bessa%2C advogado especialista em direito do consumidorDivulgação

Com Bruno Bessa, advogado especialista em direito do consumidor

O brasileiro inadimplente chega a comprometer 70% do seu orçamento com contas, um percentual muito alto e pode impedir que o consumidor se equilibre. O advogado Bruno Bessa, especialista em direito do consumidor relata: “São casos graves em que o indivíduo quase não pode aproveitar o seu salário com necessidades básicas, já que grande parte está comprometida. O motivo é concessão desenfreada de crédito por por instituições, que estão mais preocupadas com lucros do que com a capacidade econômica dos clientes”. A falta de políticas de conscientização sobre o consumo de crédito também contribuiu para a existência de superendividados. “Comunique extrajudicialmente os seus credores sobre a dificuldade no pagamento e tente um acordo. Em último caso, procure o judiciário e peça socorro. O caso pode ser julgado sob a ótica da dignidade de sobrevivência do ser humano”, orienta.

Últimas de Rio De Janeiro