Tatuador do PCC a serviço do Comando Vermelho é preso na Baixada

Por meio das redes sociais, João Paulo Rodrigues publicava fotos segurando armas e ostentando dinheiro

Por O Dia

Tatuador do PCC é preso na Baixada FluminenseReprodução Facebook

Rio - Um tatuador da facção criminosa paulista Primeiro Comando da Capital (PCC) foi preso, na tarde desta quinta-feira, em Santo Aleixo, em Magé, na Baixada Fluminense, por policiais do serviço reservado (P2). De acordo informações do 34º BPM (Magé), João Paulo Longo Rodrigues, de 24 anos, estava a serviço do Comando Vermelho (CV) e tinha se instalado no Complexo do Alemão, na Zona Norte.

Policiais teriam ido checar uma denúncia de um homem traficando drogas no bairro Maringá Magé. Ao chegar no local, os PMs encontraram João Paulo, que admitiu ter vindo ao Rio de Janeiro e se instalado no Alemão, onde exerce a função de tatuador do CV. Ele ainda disse que pertencia à maior facção de São Paulo, o PCC. O suspeito foi encaminhado à 65ª DP (Magé).

Nas redes sociais, João Paulo, que se identifica como "Jhon Rofrigues", publica diversas fotos segurando armas, como fuzis e pistolas. Além disso, ele ostenta bebidas alcoólicas importadas, dinheiro e instrumentos usados em tatuagens. Em uma das imagens, há diversos palhaços — um deles com uma granada entre as mãos —, que é o símbolo do PCC.

No último dia 19, ele fez uma postagem no Facebook: "Rio de Janeiro, Comando Vermelho, melhor lugar do mundo". Dias antes, ele escreveu na página: "UPP é bala neles, CV até morrer". O suspeito ainda exalta a "tropa" da comunidade Nova Holanda. Na Internet, ele anunciou ainda que tatua entre R$ 40 e R$ 50.

Últimas de Rio De Janeiro