Homem apontado como chefe do tráfico no Complexo do Caramujo é preso

Sanguinário, Tineném era considerado o mais procurado de Niterói e São Gonçalo e havia R$ 5 mil por sua captura

Por O Dia

Rio - Policiais Civis da Coordenadoria de Recursos Especiais (CORE), em ação conjunta com a Subsecretaria de Inteligência (SSINT), prenderam no início desta sexta-feira Rodrigo da Silva Rodrigues, conhecido como “Tinenem”, apontado como chefe do tráfico no Complexo do Caramujo, em Niterói.  Segundo a polícia, ele é responsável por diversos homicídios, inclusive pelo assassinato da jornalista Regina Múrmura, de 70 anos, morta a tiros quando teve o carro em que estava com o marido, o juiz arbitral Francisco Múrmura, 69 anos, fuzilado depois de entrar por engano na comunidade seguindo uma rota traçada pelo aplicativo Waze. 

Sanguinário, ele era considerado o criminoso mais procurado de Niterói e São Gonçalo e tinha uma recompensa de R$ 5 mil por sua captura. “Tinenem” estava escondido em um imóvel na Coruja, em São Gonçalo, sendo localizado após um trabalho de inteligência.

O imóvel foi cercado pelos policiais e quando o criminoso tentou fugir, acabou sendo preso pelos policiais, sem oferecer resistência à prisão. Ele foi conduzido para a Cidade da Polícia para cumprimento dos mandados de prisão pelos crimes de tráfico de drogas, associação para o tráfico, homicídios e ocultação de cadáver.

LEIA: Sobe para R$ 5 mil recompensa por bandido que matou jornalista

Fotos de 'Tineném'%2C divulgadas pelo Disque-DenúnciaDivulgação

Sanguinário e com lista com diversos crimes brutais

?Tineném é apontado pela polícia como um bandido sanguinário e responsável por uma lista imensa de crimes brutais. Em 2011, um traficante de vulgo 'O Velho' desovando o corpo de um usuário de drogas, que teve a morte ordenada pelo chefe do tráfico do Caramujo. 

Em fevereiro de 2014, a Justiça expediu mandados de prisão para ele e mais cinco traficantes, que teria executado com mais de 50 tiros o sargento da PM do 12º BPM (Niterói), Joílson da Silva Gomes. O policial tinha acabado de deixar o serviço, por volta das 8h da manhã e dirigia seu carro pela Estrada Velha de Maricá, na altura do Morro do Castro, no bairro Tenente Jardim, e ia para casa.

Ele foi surpreendido por criminosos que estavam encapuzados e armados de fuzil, e estavam divididos em dois carros. O PM foi assassinado porque havia participado de operação para acabar com um baile funk no Caramujo.

Tineném também estaria envolvido na morte brutal do casal de idosos Edvaldo Evans Brito Correa, de 70 anos, e Jane Siems Correa, de 72 anos. Eles foram expulsos de casa na localidade Cova da Onça e executados após Edvaldo remover uma barricada do tráfico para passar com o carro e não a recolocar na posição. No dia 29 de setembro, os traficantes chegaram a casa dos idosos e os expulsaram. Eles foram levados para o aterro sanitário do Morro do Céu, no Complexo do Caramujo, onde foram executados e seus corpos enterrados.

O traficante também ordena arrastões na região do Complexo do Caramujo, levando terror para os moradores de Niterói. Contra Tineném existem cinco mandados de prisão, expedido por diversas Varas Criminais, sendo quatro pelos crimes de homicídios e um por tráfico de drogas. Ele ainda possui 20 anotações pelos crimes de homicídios, trafico de drogas, associação, quadrilha ou bando, ameaças entre outros.

LEIA MAIS

Mulher morre baleada ao entrar por engano em favela de Niterói

Traficantes que mataram idosa no Caramujo são suspeitos de sequestro

PM é morto com mais de 50 tiros em Niterói

Últimas de Rio De Janeiro