'Você não pode ficar com essa reputação de falar besteiras', diz Jô para Paes

Prefeito falou sobre a polêmica com a delegação australiana e os cangurus; sobre a despoluição da baía da Guanabara e, claro, sobre Maricá

Por O Dia

Rio - O apresentador Jô Soares recebeu o prefeito do Rio Eduardo Paes em seu programa exibido na madrugada desta quarta-feira. Durante entrevista, Jô relembrou o episódio em que Paes menosprezou a cidade de Maricá em conversa gravada com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Em sua defesa, Paes comentou que lamenta o ocorrido e que não conhece a cidade. 

"Isso me gerou um constrangimento. Eu nunca fui à Maricá. Se algum dia eu fosse candidato a governador de Maricá, eu votava em mim, porque depois de tudo que eu falei de Maricá, eu vou transformar Maricá na cidade melhor do mundo. Mas o que é importante aí, Jô, é que não teve nada na conversa que fosse um crime, tinha um monte de besteiras", defendeu ele.

Jô Soares dá canguru a Eduardo Paes após polêmica com delegação australiana na Vila OlímpicaDivulgação

Em um certo momento da entrevista, Jô Soares sinalizou a Paes que ele não pode ser um prefeito conhecido por falar besteiras "Mas você não pode ter essa reputação de falar besteiras. Porque é no Brasil, é na CNN, onde mais?", chamou a atenção de Paes.

Paes também falou sobre o comentário em relação à delegação australiana, quando ele sugeriu que fossem colocados cangurus na frente do prédio onde a comitiva ficaria para que se sentissem em casa. Na ocasião, a delegação se queixava da falta de estrutura, de problemas de esgoto e água na Vila Olímpica. Como resposta, Jô Soares presenteou o prefeito com um canguru. "Há um mau humor generalizado, não teve nada demais". 

Em relação à Olimpíada, Paes garantiu ao apresentador que "não é tudo uma desgraça". "A gente não pode ficar com esse complexo de vira-lata permanente. A cidade está preparada para receber os jogos olímpicos".

Sobre o terrorismo, o prefeito comentou que essa é uma parte que ele acompanha de longe e acha que o governo federal está muito preparado para isso. "É uma preocupação que existe em todo o mundo, não só aqui no Rio. As forças de segurança brasileira em contato com as outras forças de segurança do mundo estão preparadas para isso".

Últimas de Rio De Janeiro