Policial é preso acusado de chefiar quadrilha de roubo a bancos

Irmão dele, também policial, era cúmplice

Por O Dia

Rio - Quinze pessoas foram presas por agentes da Polícia Federal e do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público, acusadas de pertencer a uma quadrilha especializada em furto de caixas eletrônicos em bancos. De acordo com as investigações, o bando era comandado pelo PM Aldecir Ladeira Serafim, do Batalhão de Policiamento em Vias Expressas (BPVE). Conhecido como Bruno ou Papel, ele também foi preso na ação, que teve o apoio da Corregedoria da Polícia Militar.

O irmão dele, o também PM Aldemir Ladeira Serafim, do 3º BPM (Méier), foi preso durante as investigações, apontado como um dos seis militares que pertencem à quadrilha. Outros dois PM já foram identificados e três continuam sendo investigados. De acordo com o MP, Aldecir recrutava comparsas de outros estados, como Santa Catarina, Ceará e São Paulo, com experiência neste tipo de crime.

“Em média, eles roubavam de R$ 60 mil a R$ 80 mil de cada caixa eletrônico. Identificamos, pelo menos, 16 ações do grupo na Baixada Fluminense, Barra da Tijuca, Benfica e Cascadura. Até o momento, 15 dos 21 integrantes da quadrilha estão presos”, disse o promotor do Gaeco, Fábio Miguel de Oliveira. Todos foram indiciadas pela PF nos crimes de furto qualificado e organização criminosa.

Alguns dos integrantes das quadrilhas haviam sido presos em flagrante enquanto praticavam os delitos. Segundo o promotor, alguns dos criminosos viviam em mansões com piscinas. A quadrilha tinha dois grupos. O ligado a Aldemir roubava caixas eletrônicos da Caixa Econômica Federal. Já o bando de Aldecir ficava com os do Banco do Brasil. Por nota, a PM informou que “não tolera qualquer desvio de conduta.”

Últimas de Rio De Janeiro