Chance para inativos da PM nos Jogos

Corporação vai pagar diária de R$ 550 para policiais do interior do estado, aposentados há menos de cinco anos

Por O Dia

Rio - Em letras maiúsculas, um aviso surge na tela de quem abre a página de inativos da Polícia Militar: “Oportunidade de trabalho para policiais da reserva remunerada com menos de 5 anos de inatividade”. São diárias de R$ 550 para policiais aposentados do interior do Rio trabalharem durante os Jogos Olímpicos, que começam dia 5. “Grande oportunidade para aumentar a renda familiar e tirar um pouco da inércia da Inatividade”, diz o aviso.

A notícia da contratação foi anunciada pelo Ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, que irá fornecer a verba, no mesmo esquema da Força Nacional. No entanto, o total das vagas ainda não foi fechado. Duzentos contratados já começam a trabalhar. São solicitados oficiais e praças que tenham residência fora da capital e da Região Metropolitana. O trabalho será de revista de pessoas e bagagens nas áreas de competição.

Apesar de serem da Polícia Militar, esses policiais não poderão ficar nos alojamentos dos batalhões. As vagas para o pernoite são no prédio onde está a Força Nacional de Segurança, em Jacarepaguá. O anúncio também faz referência a estrutura do local. “As condições de hospedagem não são ideais e eventualmente os recrutados podem precisar providenciar colchões e transporte para os locais de trabalho”.

Policiamento em torno na Vila Olímpica%2C na Barra%2C já está sendo feito desde 5 de julho. Para isso%2C até os administrativos foram para a ruaSeverino Silva / Agência O Dia

As inscrições estão abertas no site da Divisão de Inativos e Pensionistas (DIP) da corporação. O candidato deve preencher uma ficha e aguardar o email de confirmação. Uma data, então, será marcada para uma reciclagem no Quartel General da corporação. De acordo com a assessoria da PM, a quantidade total desse reforço de agentes ainda será anunciada após os testes.

Na página do Facebook da DIP, candidatos questionam o fato de reservistas da capital e Região Metropolitana não poderem participar. A justificativa é que as diárias, que serão pagas pelo Ministério da Justiça, são destinadas só a quem vai trabalhar fora da região de domicílio.

Segurança no Rebouças após assaltos

A cúpula da corporação fez uma modificação de última hora no policiamento: o reforço de viaturas no Túnel Rebouças, que liga o Centro à Zona Sul. No local, ocorreram dois arrastões em 48 horas.

A partir deste domingo oito grupamentos motorizados vão fazer o patrulhamento do túnel. Os policiais militares também irão atuar nos entornos dos locais das competições;terminais de transporte público, aeroportos; áreas de interesse turístico e Vias Expressas.

Locais que irão transmitir competições e terão shows, como a Praça Mauá, Parque Madureira, receberão reforço.

A PM também vai contar com o apoio de três Aeróstatos que são balões que ficam a cerca de um quilômetro de altura e possuem um sistema de transmissão de imagens em tempo real.

Com capacidade de captura de imagens em um raio de até 2 km, os três balões, doados pelo Ministério da Justiça, serão colocados na Quinta da Boa Vista, Jockey Club Brasileiro e RioCentro.

Aumento do efetivo nas ruas e nas UPPs até 30 de setembro

A PM divulgou ontem o esquema de policiamento durante os Jogos. Além dos 10.414 policiais no patrulhamento de rua, outros 3.503 PMs reforçarão o efetivo, totalizando 13.917 policiais por dia. O número representa 29% da tropa por dia, já que a corporação possui 47.827 agentes na ativa.

Também serão empregadas 3.029 viaturas para o deslocamento com carros e motos. Além do policiamento nas ruas, as UPPs receberão mais 634 policiais. Os agentes que serão empregados para o reforço tiveram férias e licenças especiais suspensas. Também haverá policiais trabalhando no Regime Adicional de Serviço (RAS) compulsório, além do deslocamento de policiais que trabalham no serviço administrativo. O reforço do patrulhamento começou em 5 de julho e termina no dia 30 de setembro, após a Paralimpíada.

“Nossa responsabilidade é fazer o policiamento no perímetro externo imediato das instalações. O planejamento e a integração entre as agências vêm sendo aplicados nos eventos-teste”, disse o comandante-geral da PM, coronel Edison Duarte.

Últimas de Rio De Janeiro