Problema no Rio não é zika e sim o transporte, afirma Comitê da Espanha

Presidente afirmou que vírus não tem nada a ver com dificuldades de atletas, que passaram quatro horas no trânsito

Por O Dia

Rio - O presidente do Comitê Olímpico Espanhol (COE), Alejandro Blanco, afirmou nesta quinta-feira que o problema das Olimpíadas do Rio de Janeiro não é o vírus da zika, e sim o sistema de transporte, mas pediu para que as falhas da organização não sejam "aumentadas".

"Há falhas, mas não podemos aumentar as falhas", disse Blanco em uma entrevista coletiva no Instituto Cervantes do Rio de Janeiro. "Todos estão vendo onde estão", disse, antes de completar que "há um problema real - que não é a zika nem nada do que nos falaram - que é o transporte".

Presidente do Comitê Olímpico Espanhol (COE)%2C Alejandro Blanco%2C o presidente da Federação Internacional de Hockey e equipe do esporte da Espanha EFE

Blanco citou como exemplo o fato de uma equipe espanhola ter demorado quatro horas na ida e volta entre a Vila Olímpica e o local de treinamento. "Não podemos ter atletas quatro horas em um ônibus", disse.

"Penso que este, que é o grande problema dos Jogos e que já vivemos em outros Jogos, é o mais importante que precisamos corrigir para que tudo funcione corretamente", completou Blanco na inauguração da Casa da Espanha para os Jogos.

"Espero que a partir de 6 de agosto (um dia após a cerimônia de abertura) isto seja corrigido", completou o presidente do COE.

Blanco informou que os reis da Espanha, Felipe VI e Letizia, pretendiam viajar ao Rio para a cerimônia de abertura, mas diante da situação política na Espanha mudaram de ideia.

O dirigente também falou sobre o porta-bandeira da Espanha na cerimônia de abertura, o tenista Rafael Nadal. "Sua figura transcendeu o mundo do esporte pelo que diz e pelo que faz".

"Acredito que a imagem de Nadal como porta-bandeira será a mais seguida, não apenas na Espanha, mas também em outros lugares. Nadal é um patrimônio do esporte mundial", completou.

Últimas de Rio De Janeiro