Após susto no Complexo do Lins, turistas suecos antecipam saída do Rio

Na quarta-feira, trio foi pego por homens armados depois de tirar fotos da comunidade. Grupo saiu da cidade nesta quinta

Por O Dia

Rio - Os três turistas suecos —dois homens e uma mulher — levados por traficantes para uma comunidade dentro do Complexo do Lins, na tarde de quarta-feira, deixaram ontem o hotel onde estavam hospedados, no Centro. Segundo funcionários do local, eles anteciparam a saída, que deveria ocorrer até amanhã.

O trio foi pego depois de tirar fotos da comunidade, sendo liberado dez minutos depois. O caso ganhou destaque na imprensa internacional. O site ‘The Sun’, da Inglaterra, classificou o episódio como ‘ataque chocante’: “É mais uma indicação de que a cidade anfitriã da Olimpíada é extremamente volátil”.

Chineses viveram minutos de pânico

Jornalistas chineses viveram momentos de terror na Linha Vermelha, a dois quilômetros do Aeroporto Internacional Tom Jobim (Galeão) na manhã de quarta-feira. Eles passavam próximo da junção com a Linha Amarela, altura da Vila do Pinheiro, quando quatro criminosos teriam disparado contra uma viatura da Polícia Militar. De acordo com informações da 21ª DP (Bonsucesso), um dos tiros atingiu a porta do carro, mas ninguém ficou ferido. Os autores dos disparos fugiram.

O portal ‘Global Times’ publicou em seu Twitter fotos que foram tiradas no momento do tiroteio. Nas imagens, ambulantes que vendem produtos nas vias expressas aparecem deitados e se abaixando nas pista para escapar dos tiros. Os jornalistas e atletas estavam em ônibus separados. Eles seguiam para a Vila dos Atletas.

O site chinês ‘South China Morning Post’, negou que uma equipe masculina de basquete do país, que vai disputar os Jogos Olímpicos, teria presenciado o tiroteio, como chegou a ser divulgado. Ainda de acordo com o site, era grande o número de repórteres que estava no ônibus. A Polícia Civil informou que não há referência no registro sobre vítimas ou envolvimento de delegação olímpica.

Chineses postaram fotos de ambulantes no chão para escapar de tirosReprodução

Horas depois, outros passageiros foram vítimas da violência na Linha Vermelha, na altura do Caju, que está com esquema especial de policiamento para os Jogos. Criminosos fizeram cerca de 30 pessoas reféns e os assaltaram em ônibus da Linha 485 (Olaria - Copacabana). Entre os passageiros estavam moradores do Rio e turistas estrangeiros. O assalto durou quase meia hora. Eles obrigaram o motorista a mudar o trajeto, indo até a Lagoa. Algumas vítimas chegaram a ser agredidas.

Sobem roubos a coletivos

O número de roubos a coletivos aumentou no Estado do Rio este ano, entre os meses de janeiro a junho, comparado com o mesmo período do ano passado. Segundo dados do Instituto de Segurança Pública (ISP), este ano, foram registrados 5.591 casos. Houve 1.906 crimes a mais que em 2015, que registrou 3.685 roubos a coletivos. Um crescimento de mais de 51%. “Mesmo com todo este policiamento nestas vias, é difícil garantir que situações como estas não vão acontecer. Os criminosos buscam oportunidades e em segundos podem atacar. A ação é inevitável”, explicou Vinicius Domingues Cavalcante, diretor da Associação Brasileira de Profissionais de Segurança.


Últimas de Rio De Janeiro