Polícia prende outro boxeador na Vila Olímpica por estupro contra camareira

Prisão acontece dois dias depois do caso envolvendo o também boxeador, marroquino, que atacou outra camareira

Por O Dia

Rio - Agentes da 42ª DP (Recreio) prenderam mais um boxeador por estupro, também contra uma camareira, dentro da Vila Olímpica, na Zona Oeste, neste domingo. Assim como o caso revelado na semana passada, envolvendo um marroquino que acabou preso, o pugilista da Namíbia, Jonas Junias, de 22 anos, agarrou e beijou uma camareira e propôs relações sexuais com ela mediante pagamento de dinheiro. A Justiça convertou hoje a prisão em flagrante em prisão preventiva do atleta.

Após a abordagem do lutador, a mulher saiu correndo e imediatamente procurou a polícia. O atleta foi levado para a delegacia, autuado, e será encaminhado para o Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu.

Boxeador da Namíbia foi preso por estupro contra uma camareira%2C dois dia depois da prisão do também boxeador marroquino%2C na Vila Olímpica. Na imagem, ele participa da cerimônia de abertura da Rio 2016Reprodução Facebook

A juíza Rose Marie Pimentel Martins, do Juizado do Torcedor e dos Grandes Eventos do TJRJ, converteu nesta segunda-feira a prisão em flagrante do atleta em prisão preventiva. A juíza aceitou a denúncia contra Jonas, que tem o prazo de dez dias para apresentar sua defesa.

Na decisão, a juíza afirma que existem provas mínimas necessárias para o recebimento da denúncia, pois além do depoimento da vítima há ainda o relato de uma testemunha. Ele vai responder pelo crime do art. 213 do Código Penal: “Constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça, a ter conjunção carnal ou a praticar ou permitir que com ele se pratique outro ato libidinoso”.

Com o caso, ele deve ficar fora da Olimpíada, onde lutaria na noite desta quinta-feira com o atleta francês Hassan Anzille, no Pavilhão 6 do Riocentro. Jonas Junias compete pela categoria médio ligeiro e participou da cerimônia de abertura da Rio 2016, na última sexta-feira, quando levou a bandeira de seu país. "Meu país meu orgulho", escreveu em seu perfil no Facebook, em postagem acompanhada da foto que mostra a sua passagem com a delegação da Namíbia.

Marroquino está preso pelo mesmo crime

Na última sexta-feira, o atleta de boxe marroquino Hassan Saada foi preso acusado de estupro contra duas camareiras que trabalham na Vila dos Atletas. Contra o lutador de 22 anos foi cumprido um mandado de prisão temporária, de 15 dias. 

A defesa de Hassan chegou a dar entrada com um habeas corpus, mas o desembargador Wilson do Nascimento Reis negou, na madrugada do sábado, o pedido. O desembargador afirma que não encontrou na prisão de Hassan Saada qualquer irregularidade que justificasse o deferimento do pedido de liberdade.

Em depoimento, as camareiras, ambas de 20 anos, relataram os momentos de pavor dentro do apartamento de Hassan. Uma delas fazia a limpeza da sala quando o marroquino foi em sua direção e fez um gesto de que gostaria de beijá-la. Diante da negativa, ele agarrou a jovem à força, que se desvencilhou do boxeador. Ainda de forma gestual, ele levantou a perna e indicou que queria ter relações sexuais com a funcionária da Vila, além de mostrar que queria ser masturbado e que pagaria por isso.

LEIA MAIS

Atleta marroquino de boxe é preso suspeito de estupro na Vila dos Atletas

Justiça do Rio nega habeas corpus a boxeador acusado de assédio sexual

Hassan Saada tem luta marcada para este sábado contra um boxeador da TurquiaReprodução Facebook


Últimas de Rio De Janeiro