Suposto doleiro de PC Farias, 'Don Juan' é preso por golpes em mulheres

Paulo Roberto Tinoco Bonafina, 54 anos, se relacionava com as vítimas e depois as convencia a realizar saques em dinheiro

Por O Dia

Conhecido como "Don Juan"%2C Paulo Roberto Tinoco Bonafina foi preso em 2004 pelo mesmo golpe contra mulheresReprodução

Rio - Agentes da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF), coordenados pelo titular da especializada, Márcio Braga, prenderam em uma casa em Barra de Guaratiba, na Zona Oeste, Paulo Roberto Tinoco Bonafina, de 54 anos, conhecido pelo apelido de "Don Juan", que aplicava golpes em mulheres em São Paulo. Conhecido na praça por estelionato — há três mandados de prisão pelo crime e 19 passagens só no Rio (incluindo também furto e apropriação indébita) — ele também foi apontado como doleiro de Paulo César Farias, o PC Farias, na época que o escândalo veio à tona. 

Paulo Roberto já foi preso pelo mesmo crime em 2004 em Campos, no Norte Fluminense. Na época, ela se passava por cientista político, pesquisador, sociólogo, empresário, fazendeiro e corretor de valores.  A lista de nomes falsos também é extensa: Alexandre Lúcio Pires, Mauricio Dabul, Alfredo Roberto Harice, Carlos Roberto Mendonça e Roberto Mendonça Júnior.

De acordo com o delegado da DRF, Márcio Braga, ele negou os crimes à polícia. "Ele disse que as mulheres davam dinheiro por vontade própria, que não enganava ninguém", revelou. Segundo a polícia, acusado iniciava um relacionamento afetivo com as mulheres para, em seguida, ganhar a confiança delas e convencê-las de realizarem saques em dinheiro de suas contas bancárias.

Foram três meses de investigação desde a denúncia de seu paradeiro até a sua localização. Agora, com a divulgação da sua prisão, o delegado espera que novas vítimas compareçam à DRF para registrar os crimes.

Na época do escândalo PC Farias, um dos nomes falsos usado por Bonafina, Maurício Dabull, apareceu em uma suposta lavagem de dinheiro em Nova York, de US$ 54 milhões. 



Últimas de Rio De Janeiro