Manifestantes fazem caminhada pelo fim da violência contra a mulher

Ato reuniu pelo menos cem pessoas em Nova Iguaçu

Por O Dia

Rio - O romance acabou, o conto de fadas virou história de terror. Assim, a vida de milhares de mulheres se transforma em uma rotina de agressões físicas e verbais. Com o tema ‘Em Briga de Marido e Mulher, Nova Iguaçu Mete a Colher’, cerca de 100 pessoas fizeram uma caminhada pelo fim da violência contra a mulher ontem, em Nova Iguaçu. A cidade, segundo dados do Dossiê Mulher lidera, ao lado de Mesquita e Nilópolis, o ranking de violência doméstica do Instituto de Segurança Pública (ISP).

“Fui agredida durante quatro anos. Meu antigo companheiro me batia e me xingava à toa. Até que não aguentei mais e fugi dele. Faz cinco anos que não o vejo. Se fosse hoje eu teria denunciado”, contou Raquel Pereira, de 47 anos, que acompanhava a caminhada.

Na semana em que a Lei Maria da Penha completa dez anos, dados divulgados pelo Tribunal de Justiça do Rio mostram que os crimes de homicídio, ameaça, injúria, difamação e violação de domicílio aumentaram contra as mulheres entre 2011 e 2016. De janeiro a junho, foram abertos 58 mil processos. As sentenças aumentaram 32% no primeiro semestre, em comparação com o mesmo período de 2015. Em Nova Iguaçu, os registros de violência contra a mulher atingiram 9.643 casos em 2016.

Últimas de Rio De Janeiro