Medalhista da Nova Zelândia foi extorquida por taxista no Rio, diz jornal

Preço foi combinado e depois subiu. Segundo autoridade, homem se perdeu por conta de ruas fechadas na região

Por O Dia

Rio - A atleta do tiro neozelandesa Natalie Rooney, de 28 anos, relatou ter sido extorquida por um taxista em uma corrida até a Vila Olímpica, de acordo com a emissora de televisão "TVNZ". A medalhista de prata contou que havia combinado com o motorista o valor de R$ 100, mas que ao chegar ao local foi obrigada a pagar R$ 275. O caso é relatado como mais um problema de segurança no Rio.

Segundo o chefe da missão neozelandesa no Rio, Rob Waddell, à emissora, os atletas da Nova Zelândia foram encorajado a socializar no Clube do país na cidade. Na ocasião, Natalie estava no local e usou um serviço de táxi regularizado. "Foi um incidente infeliz por conta dos fechamentos das ruas na região. O taxista acabou se perdendo", afirmou Waddell, acrescentando que, provavelmente, ocorreram problemas de tradução.

Atleta de tiro neozelandesa Natalie Rooney ganhou medalha de prata nos Jogos Rio 2016 EFE

O jornal "Stuff" relatou que a campeã ficou aterrorizada após discutir com o taxista e por medo pagou a corrida. Ela teria sido deixada em um local sem iluminação. Após o incidente, um segurança a ajudou a conseguir outro veículo.

Atleta é sequestrado por 'homens fardados': 'Aqui a polícia faz o que quer'

Lutador neozelandês sequestrado e extorquido por PMs deixa o Brasil

Às vésperas do início dos Jogos Olímpicos, o lutador neozelandês Jason Lee contou ter sido extorquido por policiais militares em uma blitz em Duque de Caxias, quando voltava de uma competição em Resende. Na ocasião, os agentes alegaram que ele não poderia dirigir sem passaporte e exigiram R$ 2 mil. Ele foi obrigado a ir em caixas eletrônicos fazer o saque do dinheiro.

Os cabos Fábio da Costa Barbosa e Anderson Nunes Franco, lotados no Batalhão de Policiamento de Vias Especiais (BPVE) tiveram prisão temporária decretada pela Auditoria da Justiça Militar e estão detidos em um presídio de Niterói. O lutador decidiu deixar o Brasil após o episódio.

Últimas de Rio De Janeiro