Violência desafia maior esquema de segurança do Rio, diz mídia estrangeira

Jornais puseram em xeque plano de segurança quando até agentes da Força Nacional foram baleados na Vila do João

Por O Dia

Rio - A segurança no Rio, ou a falta dela, virou alvo de amplas críticas na mídia internacional após alguns dos últimos eventos violentos na cidade, que incluem: tiroteio com feridos no Complexo do Alemão, ataque a ônibus do Comitê organizador dos Jogos que levava jornalistas em Curicica e um campeão olímpico russo assaltado. O jornal americano "Wall Street Journal" afirmou que os tiroteios nas favelas do Rio e constantes assaltos nas ruas desafiam e põem em xeque o maior esquema de segurança que a cidade já teve. A violência nos complexos da Maré e do Alemão foi amplamente relatada.

O caso dos dois policiais da Força Nacional que entraram por engano na Vila do João quando tentavam acessar a Linha Amarela em direção ao Parque Olímpico na tarde desta quarta-feira repercutiu amplamente na mídia. Os agentes foram baleados e uma mulher foi ferida.

Leia: Campeão olímpico russo relata ter sido assaltado nas ruas de Ipanema

Saiba: Força Nacional bloqueia acessos da Maré para capturar autores de ataque

Destaque em todos os sites internacionais, os vários "incidentes" durante as Olimpíadas "têm levado a preocupações com a segurança nos Jogos", publicou o respeitado "Whashington Post".

O jornal criticou o sistema de Unidades de Polícia Pacificadora (UPP), em 2010 no Alemão, dizendo que após milhares de pessoas assistirem suas instalações pela televisão, o esquema só funcionou por um tempo. Os cortes no orçamento de segurança e a falta da implantação na Maré também foram abordados.

Polícia fecha o cerco na Maré para capturar autores de ataque à Força NacionalFoto%3A Johnson Parraguez / Parceiro

Ao contar sobre o campeão olímpico russo que relatou ter sido assaltado em Ipanema, na Zona Sul, nesta quarta-feira, o jornal "Mirror" lembrou que Paes declarou antes dos Jogos começarem que o Rio seria um dos lugares mais seguros do mundo, com forças de segurança para proteger os turistas e atletas durante o evento. No entanto, o que se vê nas ruas "não é bem assim". 

Na noite desta terça-feira, um ônibus que levava diversos jornalistas internacionais foi atacado e teve os vidros estilhaçados quando passava por Curicica. Na ocasião, 12 profissionais de imprensa, sendo quatro brasileiros e oito estrangeiros, seguiam para o MPC, centro de mídia. Jornalistas relataram que o veículo foi atingidos por tiros, mas a Polícia Civil afirmou que o ônibus foi vistoriado e foram pedradas.

Favela X Asfalto

O tema que muitos brasileiros estão acostumados a ver no cotidiano também ganhou destaque internacional. Jornalistas do mundo inteiro presentes na cidade reportam a desigualdade social e os dramas da insegurança fora do "roteiro olímpico".

No "New York Times", uma matéria destacou que os moradores de favelas são obrigados a conviver com tiroteios diários enquanto "os ricos bebem caipirinhas acompanhados de super modelos nos camarotes bancados por patrocinadores".

PMs e bandidos entram em confronto no Alemão e teleférico é paralisado

A construção do teleférico do Alemão foi mencionada como um avanço, mas a matéria conta que houve a volta das facções ao complexo no ano de 2014. Vale lembrar que o teleférico é constantemente paralisado por conta da violência no local, como nesta terça-feira, por exemplo quando PMs da UPP Nova Brasília e traficantes entraram em confronto.

Parque Olímpico inacabado

O "glamour" mostrado na TV está longe de área da Barra da Tijuca, comenta outra reportagem do "Post". Imagens de esgoto a céu aberto e um "campo pantanoso" foram mostradas por jornalista.

"As câmeras da NBC [rede de televisão que transmite a Olimpíada nos EUA] são prismas embelezadores que mostram as melhores partes de Parque Olímpico do Rio. Na realidade, o parque e a área ao redor da Barra da Tijuca estão longe do glamour de Copacabana, em uma área subdesenvolvida com acabamentos bastante rústicos. É claro que esgotaram o tempo e o dinheiro dos organizadores. Aqui estão as fotos que mostram a realidade, em oposição às cenas de beleza televisionadas", publicou o jornal.

Últimas de Rio De Janeiro