Por gabriela.mattos

Rio - Tomar mais de um banho por dia, pegar sanduíche com guardanapo, manter lixeira no banheiro para jogar o papel usado, marcar hora mesmo sabendo que vai se atrasar. Para os brasileiros nada de anormal. Porém, nossos costumes tem espantado muitos estrangeiros que estão visitando o País pela primeira vez, em função dos Jogos Olímpicos.

Até o nosso jeito de beber cafezinho foi considerado esquisito pelos gringos. A ponto de o canadense Scott Stinson, do jornal National Post, fazer piada na rede social com a foto de um copinho de plástico com café e um texto reclamando do tamanho. No Canadá, assim como nos Estados Unidos, eles tomam café em copão.

Para o sociólogo e cientista político carioca Paulo Baía, o espanto dos estrangeiros com o jeito brasileiro é normal. “Temos culturas e hábitos diferentes, que se chocam com os deles”, explica, ressaltando que quando os brasileiros viajam para o exterior também se impressionam com certas coisas esquisitas lá de fora. “Mas, o choque cultural é bem recepcionado se houver tolerância”, afirma o sociólogo.

Além dos nossos hábitos, nossa fauna surpreende os estrangeiros. Uma capivara resolveu passear no campo onde é disputado o golfe, na Barra, e virou o foco das atenções da mídia internacional. Os que nunca tinham visto o dócil roedor chegaram a confundir o bicho com um rato gigante.

O site Los Angeles Times, dos Estados Unidos, definiu as capivaras como “criaturas estranhas, do tamanho de um porco”. “As ‘capybaras’ são as verdadeiras estrelas do golfe”, brincou um apresentador do ‘Today Show’, da emissora americana NBC. Mas, o Global News, do Canadá, defendeu os animais: “São os jogadores que estão visitando as capivaras, não o contrário”. É verdade. O campo de golfe fica na Área de Proteção Ambiental de Marapendi.

Você pode gostar