Ação para prender bandidos que mataram soldado da Força Nacional tem três mortos

Três foram presos, armas munições e drogas foram apreendidas na operação da Polícia Civil na Vila do João, no Complexo da Maré

Por O Dia

Rio - A operação da Polícia Civil na comunidade da Vila do João, no Complexo da Maré, na Zona Norte, teve três suspeitos mortos e três presos, na manhã desta terça-feira. A ação tem o objetivo de prender dois suspeitos de assassinar o soldado da Força Nacional de Segurança Hélio Andrade, na última quarta-feira. Thiago da Silva Folly, o TH, de 27 anos, e Alexandre Ramos do Nascimento, o Pescado, de 28 anos, tiveram a prisão preventiva decretada pela Justiça, mas ainda continuam foragidos.

O Disque-Denúncia já oferecia recompensa de R$ 2 mil por informações que levem às prisões deles. A operação contou com 145 agentes da Delegacia de Homicídios (DH-Capital) e com o apoio da Divisão de Homicídios, da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF), da Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo (DHNSG) e da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core), além de dois blindados.

Suspeitos de matar o soldado da Força Nacional%2C Thiago da Silva Folly%2C o TH%2C de 27 anos%2C e Alexandre Ramos do Nascimento%2C o Pescado%2C de 28 ano%2C são procuradosDivulgação

Na ação, Lusinaldo Gomes, de 24 anos, foi preso pelo crime de associação para o tráfico de drogas e João de Souza da Silva Neto Junior, de 24 anos, por associação para o tráfico de drogas e porte ilegal de munição de uso restrito. Além disso, Roberlan Bruno Pereira da Silva, de 26 anos, também foi preso após ser abordado pelos policiais civis enquanto estava com um veículo roubado. Ele responderá por receptação e roubo. 

Drogas apreendidas na Maré tinham a imagem dos Jogos OlímpicosDivulgação

Com os mortos foram apreendidas três pistolas calibre 9mm. Elas serão periciadas para descobrir se foram usadas no crime contra o soldado da Força Nacional. Dos três presos, um tinha mandado de prisão pendente e foi flagrado com um carro roubado. Foram apreendidos também crack, maconha, cocaína, LSD, rádios transmissores, carregadores, dinheiro, cadernos de contabilidade e um cordão de ouro. As drogas estavam embaladas em plásticos com a logo dos Jogos Olímpicos.

O carro da Força Nacional onde o soldado e outros agentes estavam foi fuzilado por criminosos na última quarta-feira, depois de entrar por engano na Vila do João. Hélio, que era da Polícia Militar de Roraima, ainda chegou a ser levado para o Hospital Salgado Filho, mas morreu no dia seguinte. O corpo do policial chegou no domingo ao estado de Roraima, onde foi velado até a segunda-feira a tarde, quando foi enterrado no final do dia.

Armas%2C drogas e munições foram apreendidas durante operação da Polícia Civil na Vila do João%2C no Complexo da MaréMarlos Bittencourt / Agência O Dia

Três militares da Força Nacional estavam no carro atacado por traficantes. Militares do Exército e um taxista auxiliaram no socorro das vítimas. O capitão Allen Marcos Rodrigues Ferreira, do Acre, foi atingido por estilhaços no rosto, levado ao Hospital Municipal Evandro Freire, na Ilha do Governador, foi liberado em seguida. A dupla estava ainda acompanhada do soldado Rafael Pereira, do Piauí, que não se feriu, mas ficou em estado de choque.

LEIA MAIS

Carro da Força Nacional de Segurança é atacado a tiros na Vila do João

Morte de agente expõe fracasso do projeto de segurança na Maré

Após ataque, prefeitura instala sinalização na entrada da Vila do João

Últimas de Rio De Janeiro