Barra em Dia: Sucesso olímpico muda o eixo da Barra da Tijuca

Centro Metropolitano vira o novo eixo de valorização imobiliária do bairro da Zona Oeste

Por O Dia

Rio - A Olimpíada muda o eixo da Barra. As avenidas Abelardo Bueno e Salvador Allende passam a encarnar o espírito do projeto do Lucio Costa que previu o centro metropolitano. Ao receber o Parque Olímpico, essa região passou a ser percebida de forma diferente pelo mundo. Quem investiu de forma pioneira em empreendimentos como o Rio2, assiste a uma valorização surpreendente dos seus imóveis. A região virou um dos espaços mais nobres da Barra e poderá crescer mais ainda com a futura utilização do prédio do IBC, centro de TV, como sede de um futuro cassino.

Espaço VIP da Adidas ocupa todo o terceiro andar do Shopping MetropolitanoBarra em Dia

A valorização da Abelardo Bueno passa também por duas âncoras, o Shopping Metropolitano e o Hotel Hilton, um dos mais sofisticados hotéis de 5 estrelas da cidade, que está tendo para a região a mesma contribuição que o Copacabana Palace teve para a Zona Sul na década de 30. Durante os jogos, o shopping abriu o seu terceiro piso, alugado integralmente pela Adidas que montou um centro de hospitalidade para seus convidados Vips. O ponto alto é o terraço aberto montado como um loungesupermoderno, com direito até a exposição de carros de luxo, super privado e com uma vista incomparável da Abelardo Bueno.

O Parque Olímpico mudou o eixo da Barra. O Centro Metropolitano passou a ser o coração do bairroBarra em Dia

Para a região ficar perfeita, falta apenas colocar de forma subterrânea as fiações públicas, que ainda destoam da sofisticação arquitetônica e paisagística do centro metropolitano. Um ponto alto foram as ligações pelo BRT. O processo de integração com o terminal Alvorada e com o eixo tradicional da Avenida das Américas, através de um transporte público eficiente aumentou o espírito de integração. As estações do BRT parecem casar com o projeto urbanístico original e só arrancam elogios.

Cartão Postal

Na Salvador Allende, o Riocentro passou por uma reformulação, ganhou em complexo de restaurantes, um anel hoteleiro a sua volta, com pelo menos 2 mil quartos e um novo pavilhão. Uma das marcas foi trazida pela bandeira Accor com a instalação do Grand Mercure, um 5 estrelas sofisticado que também contribuiu para valorizar a região. Um dos pontos mais importantes é o empreendimento Ilha Pura, que abriga a Vila dos Atletas. Nas redes sociais, os atletas derramam elogios com a sofisticação do empreendimento e fazem a postagem de fotos deslumbrantes tiradas do complexo.

A Riotur e secretaria municipal de turismo está dando um show no quesito informação turística. Vejam o posto de informação instalado no final da passarela da estação do BRT do Rio 2. Este foi um tema cuidado pessoalmente pelo secretário especial de Turismo Antônio Pedro Figueira de MelloBarra em Dia

Segunda casa

Na década de 50 e 60 era comum nas famílias mais abastadas do norte/nordeste e da região sul terem um apartamento no Rio. Até hoje vários imóveis da zona sul são propriedade de nomes da classe média alta de Salvador, Recife, Fortaleza e na capital amazonense, Manaus. Portanto, as famílias mais importantes tinham o seu endereço no Rio. Este é um fenômeno que se repetiu com o boom imobiliário de Miami. Uma onda que começou no Governo Collor e que está sendo reeditada recentemente. Anotem: este mesmo fenômeno imobiliário acontecerá na Barra, com o complexo Ilha Pura. Quando ele for devolvido aos empreendedores após os jogos Paralímpicos, ele sofrerá um retrofit e será objeto do desejo de paulistas, manauaras, gaúchos, soteropolitanos, brasilienses e dezenas de outras naturalidades que sonham em ter seu endereço no Rio.

Quem esteve no espaço da Adidas no Shopping Metropolitano foi medalhista Arthur Zanetti. Ele estava acompanhado do seu manager Marcel Camilo. No dia que ganhou a medalha de prata todos os seus familiares usaram o shopping como ponto de apoioBarra em Dia

Hermanos no Rio

Quem não vai querer ter a chance de possuir como seu segundo endereço o novo Rio que nasce após as Olimpíadas? Este interesse vai além de fronteiras. Argentinos, uruguaios e chilenos já demonstram interesse de aproveitar a vantagem cambial e investir aqui, algo que já foi feito pelos Hermanos em Santa Catarina. A internacionalização do Rio, após milhares de horas de exposição nas televisões do mundo inteiro é um fato inevitável.

Libera Pezão!!!

Já começamos a sentir o efeito do metrô na vida dos moradores da Barra. Vai ser revolucionário. Quem já utilizou o sistema fica emocionado com a agilidade e praticidade. O sistema, ainda reservado a “família olímpica” e portadores de ingresso deveria ser liberado após o final das Olimpíadas. Nos jogos Paralímpicos, o movimento é bem menor e não há razão de proibir o uso total dos trens. Da mesma forma que existia os vagões femininos, era só reservar alguns carros para os portadores de ingresso e liberar os trens. O Governador Pezão, leitor da nossa coluna, poderia dar este presente aos moradores da Barra!   

Free Nutella

Os amantes cariocas de Nutella ganharam uma deliciosa surpresa na última terça-feira, 16 de agosto. Para comemorar a abertura do primeiro Nutella Point do Rio de Janeiro, os visitantes que passaram no espaço da marca no BarraShopping, das 10h às 14h,  ganharam mini tarteletes recheados com o creme de avelã mais famoso do mundo. O Dia da Nutella de graça aconteceu para comemorar a abertura do sexto Nutella Point da marca, inaugurado neste último sábado, 13 de agosto. Este é o primeiro Nutella Point fora de São Paulo.

Perigo ao volante

Muitas reclamações com a violência de alguns motoristas do BRT, principalmente os que atendem o Parque dos Atletas. Com os veículos lotados de famílias, principalmente idosos e crianças, os condutores não perdoam. Aceleram e pisam de forma abrupta, além de fazerem as poucas curvas como se tivessem em um autorama. A velocidade ou busca por pontualidade não deveria se sobrepor às regras básicas de segurança.

Casa Cheia

Pesquisa da ABIH-RJ com os hotéis associados da Barra da Tijuca comprovou que a ocupação dos cinco estrelas da região está nas alturas. Enquanto na semana pré-Olímpica, a ocupação era de 71,81%, desde o início dos jogos a taxa média saltou para 97%. De acordo com o Rio CVB, o tempo de permanência dos turistas do mundial chega a 14 dias.


Últimas de Rio De Janeiro