Empate técnico de candidatos embola disputa em São Gonçalo

Atual prefeito enfrenta rejeição de 71%

Por O Dia

Rio -Segundo colégio eleitoral do Estado Rio de Janeiro, com 686.207 eleitores, São Gonçalo deverá ser palco de uma das disputas mais acirradas das eleições municipais, em 2 de outubro. Levantamento feito entre os dias 16 e 18 de agosto pela Ágora Pesquisa aponta empate técnico entre três candidatos a prefeito.

José Luiz Nanci (PPS), com 19,1% das intenções de voto lidera numericamente a pesquisa, seguido pelo atual prefeito e candidato à reeleição, Neilton Mulim (PR), que tem 16,3%, e Dilson Drumond (PSDB), com 14,6%.

Na pesquisa, o candidato Dejorge (PRB) aparece com 12,6% dos votos, enquanto Brizola Neto (PDT) possui 5,6%, e Diego São Paio (Rede) 4,6%. Na lanterninha estão Professor Josemar (Psol), com 2,4%, Marlos Costa (PSB), com 1,5%, e por último Dayse Oliveira (PSTU) com 0,2%. Brancos e nulos somaram 14% e outros 9% não souberam ou não quiseram responder. Foram entrevistadas 500 pessoas.

A rejeição ao atual prefeito Neilton Mulim chama a atenção: 71% dos entrevistados garantiram que não votariam nele de jeito nenhum. Outros com alto índice de rejeição são Brizola Neto, com 11%, e José Luiz Nanci, com 7%.

Segundo a pesquisa, Mulin é rejeitado entre eleitores de todos os níveis de escolaridade, em especial entre os eleitores com nível superior (43%).

A gestão de Mulim também foi reprovada pela maioria dos eleitores de São Gonçalo. De acordo com o levantamento, 57% dos entrevistados afirmaram que a cidade está pior hoje do que há quatro anos, quando Mulin se elegeu prefeito. Apenas 9% acreditam que a cidade melhorou.

A Segurança Pública foi considerada o maior problema de São Gonçalo por 46% dos entrevistados. Em seguida, vem o Saneamento Básico apontado como um dos principais problemas da cidade por 15%. Depois estão Saúde e Educação, com 7% e 6%, respectivamente. Do total de entrevistas, 61% considera a prefeitura ruim ou péssima. 

Últimas de Rio De Janeiro