Dom Orani participa de celebração ecumênica em homenagem ao Dia da Oração

Data foi instituída pelo Papa Francisco, com objetivo de conscientizar a população sobre a importância do meio ambiente

Por O Dia

Rio - O Arcebispo Metropolitano do Rio, cardeal dom Orani João Tempesta, participou de uma celebração ecumênica, em Volta Redonda, nesta quinta-feira. O dia 1º de setembro foi instituído pelo Papa Francisco como o Dia Mundial de Oração pelo Cuidado da Criação, que volta o olhar para a consciência ecológica e o cuidado com a Casa Comum, o planeta. A comemoração reuniu ainda representantes de diversas denominações religiosas e bispos do estado do Rio de Janeiro.

Arcebispo Metropolitano do Rio%2C cardeal dom Orani João Tempesta participou de celebração ecumênica em Volta Redonda%2C nesta quinta-feiraDivulgação

O evento teve início na praça padre Eugênio Verweijen, atrás da igreja Santo Antônio, no bairro Niterói. Durante a cerimônia, dom Francisco Biasin, bispo da Diocese de Barra do Piraí – Volta Redonda, acolheu os representantes de diferentes crenças destacando a relevância do diálogo inter-religioso. Ele que também é presidente da Comissão Episcopal Pastoral para o Ecumenismo e o Diálogo Inter-religioso da CNBB. “É muito importante receber os nossos irmãos e irmãs de outras representações religiosas, neste que é o Dia Mundial de Oração pelo Cuidado da Criação e em especial com o nosso rio Paraíba do Sul, fonte de vida para todos nós”, disse.

O Rio Paraíba do Sul foi o principal tema escolhido, fruto de um encontro entre dioceses do estado, realizado em julho, na capital fluminense, onde o Arcebispo Metropolitano do Rio sugeriu que a reunião dos bispos do estado fosse realizada em Volta Redonda e onde foi definida a necessidade de dar visibilidade às questões referentes ao Paraíba do Sul.

Márcia Mireles, representante do candomblé, destacou que é na natureza que se reconhece as divindades. “Eu preciso da conservação do meio ambiente, das florestas, dos animais que são sacralizados para que eu possa reconhecer aquilo que cultuo. No dia em que acabar a natureza, acaba-se o Candomblé”, destacou.

No período da tarde, os bispos se reúnem de forma reservada e recebem técnicos do Instituto Estadual do Ambiente (Inea), do Comitê do Médio Paraíba do Sul (CBH-MPS), Comissão Ambiental Sul e um professor da Universidade Federal Fluminense (UFF) que lhes apresentarão o panorama do Rio Paraíba do Sul.

Últimas de Rio De Janeiro