Coronel reformado da PM é preso por acusação de estupro

Policiais encontraram, no carro do oficial, uma menina de apenas dois anos

Por O Dia

Rio - Acusado de estupro contra uma criança de dois anos e corrupção ativa para esconder o crime, o coronel reformado Pedro Chavarry Duarte, de 62 anos, foi preso na noite deste sábado em flagrante. O oficial estava com a menina, de apenas 2 anos, nua em seu carro quando policiais militares o abordaram na Rua Barreiros, em Ramos, Zona Norte do Rio. Na Central de Garantias, na Cidade da Polícia, ele foi autuado por estupro de vulnerável e corrupção ativa.

Policiais do 22º BPM (Maré) chegaram até Duarte após receberem uma denúncia  de que uma criança estaria sendo molestada dentro de um veículo estacionado em um posto de gasolina. Segundo os PMs, a vítima foi encontrada no banco do carona, nua e chorando muito.

O coronel da reserva%2C Pedro ChavarryWhatsApp O DIA (98762-8248)

"Nao foi a primeira vez", diz testemunha sobre o caso

De acordo com o relato dos militares, alguns instantes após a abordagem dos agentes, uma mulher, que se dizia responsável pela menor, chegou ao local e informou que a mãe da menina estaria presa. Logo em seguida, uma outra mulher que também não foi identificada pela PM, teria chegado com a certidão de nascimento da criança e se dizendo responsável por ela. No entanto, esta mulher também teria dito que essa não é a primeira vez que o coronel oferecia dinheiro para sair com crianças.

A denúncia teria partido de uma cliente de uma lanchonete, que fica em um posto de gasolina na própria Rua Barreiros, onde o oficial passou antes para comprar comida. Uma funcionária do estabelecimento o viu com a criança no carro e, quando foi entregar o pedido, se deparou com a menina nua e de pernas abertas. Chocadas com a cena, elas teriam comentado o caso com uma cliente, que resolveu chamar a PM.

"Não foi a primeira vez que minha colega o viu com uma criança dentro do carro. Uma outra vez, ele estava com um menino. Na hora que ele fez a compra e ela entregou o lanche, viu que a menina estava sem roupa e com as pernas abertas. Ela comentou comigo o acontecido e uma outra cliente ouviu, perguntou o que estava acontecendo e resolveu chamar a polícia", disse uma funcionária, que não quis se identificar. 

O coronel tentou justificar a ação dizendo que a criança era filha de uma conhecida e que a mãe dela já estava chegando ao local. Em seguida, o oficial tentou "oferecer vantagens" aos policiais, que decidiram gravar a conversa em vídeo, e foi preso . O coronel foi encaminhado à Unidade Prisional, em Niterói.

Oficial pode ser expulso

A Central de Garantias-Cidade da Policia irá encaminhar uma cópia do procedimento policial para a 21ª DP (Bonsucesso). Com as informações, os investigadores vão identificar os demais envolvidos e apurar de que forma que a criança foi entregue ao autor. A Polícia Civil informou ainda que outros detalhes não serão divulgados para não prejudicar a investigação.

Chavarry é o atual presidente da Caixa Beneficiente da Polícia Militar. De acordo com a Polícia Civil, a menina foi encaminhada ao Instituto Médico Legal  (IML) na madrugada deste domingo, realizou exame de corpo de delito, foi entregue aos responsáveis legais e encaminhada à Delegacia da Criança e do Adolescente Vítima (DCAV).

O procurador e coordenador de direitos humanos do Ministério Público, Marcio Mothe, falou sobre o caso, "É importante que esse caso seja apurado pela especializada (DCAV), ante a sua extrema gravidade e peculiaridade. A DCAV tem um aparato para isso e essa mãe tem que se explicar e ser responsabilizada criminalmente".

A assessoria de comunicação da Polícia Militar informou que o coronel reformado vai responder perante a Justiça comum e também será submetido a um Processo Administrativo Disciplinar, que julgará sua expulsão. Em nota, a Polícia Militar informou que repudia e combate qualquer tipo de crime.

Carreira

A página da Caixa Beneficente destaca os pontos positivos na carreira do militar. Segundo o site, Pedro Chavarry ingressou cedo na carreira militar. Com apenas 19 anos de idade entrou para a Academia de Polícia Militar e três anos depois se tornou aspirante. Passando por diversos batalhões, como o 4° Batalhão em São Cristóvão, 8° em Campos de Goytacazes, 14° em Bangu e 16° em Olaria.

Ainda segundo a página, Pedro é bacharel em direto e já acumula 42 anos de atividades na Polícia Militar. O oficial está há quase seis anos no comando da Caixa Beneficente e ainda tem em seu currículo a passagem pelo gabinete de quatro comandantes-gerais, relações-públicas da Polícia Militar, membro da mesa diretora da irmandade de Nossa Senhora das Dores da PM e Diretor Social da Caixa Beneficente na gestão do ex-presidente da instituição Ary Lopes.

Em 2014, ele se candidatou a deputado federal, pelo Partido Socialista Brasileiro (PSB).

Histórico 

Em matéria de 1993, o Jornal do Brasil noticiou a absolvição de Pedro Chavarry, então capitão da Polícia Militar e investigado por participação em esquema de propina do jogo do bicho, do crime de abandono de criança e maus-tratos. Apesar de ter sido condenado a um ano de detenção, o militar não cumpriu a pena por ser réu primário.

Colaboraram Bruna Fantti, Maria Inez Magalhães e o estagiário Lucas Cardoso

Últimas de Rio De Janeiro