Informe: Imagem do governo estadual preocupa cúpula de campanha de Pedro Paulo

Na avaliação dos coordenadores, o eleitorado não tem feito distinção entre o que é do estado e o que é do município

Por O Dia

Rio - A grande preocupação da cúpula de campanha de Pedro Paulo (PMDB) não é o palavreado do prefeito Eduardo Paes, tampouco a repercussão negativa do episódio envolvendo as supostas agressões à ex-mulher (ele foi absolvido). Nada disso tira o sono do candidato.

O grande problema é a péssima imagem do governo Pezão/Dornelles junto aos eleitores, o caos nos hospitais estaduais e as reportagens a respeito. Na avaliação dos coordenadores de campanha, o eleitorado não tem feito a distinção entre o que é estadual e o que é municipal.

Faz sentido, afinal, há oito anos o PMDB diz que é tudo a mesma coisa. A conta chegou. E o preço parece alto.

?Fora Cunha 

O candidato a prefeito do Rio e deputado federal Indio da Costa (PSD) diz estar ansioso pela votação de amanhã, na Câmara, que decidirá o futuro de Eduardo Cunha, afastado da presidência da Casa devido aos milhões que possui em contas secretas no exterior.

Ficha Limpa

Indio foi um dos relatores da Lei da Ficha Limpa, e disse que Eduardo Cunha e Leonardo Picciani (PMDB), atual Ministro do Esporte, foram os único a votarem contra a lei. “Alguma razão deve haver, não?”, provocou.

Cinco mil na mira

Pelo menos 5 mil candidatos podem ter seus registros impugnados na eleição deste ano, por serem considerados ficha suja.

Caciques de fora

Políticos famosos pela extensa folha corrida, como Paulo Maluf (DEM-SP), continuam na ativa. A culpa, neste caso, não é da lei, mas da morosidade da Justiça brasileira.

O que falta?

Para ser considerado ficha suja, é preciso uma condenação em segunda instância por lavagem de dinheiro, corrupção, peculato ou improbidade.

Últimas de Rio De Janeiro