Coronel da PM preso com menina de 2 anos é suspeito de raptar bebê em 2009

Polícia investiga caso de recém-nascida levada logo após o parto. Mãe da menina teria entregado a ele outros dois filhos menores

Por O Dia

Rio - A Polícia Civil investiga se o coronel Pedro Chavarry, de 62 anos — preso por estupro de uma menina de 2 anos — também raptou uma recém-nascida em 2009. A mãe, identificada apenas como Laís, contou que o oficial reformado da PM pegou a bebê, chamada Maria Clara, quando ela ainda não tinha registro de nascimento, logo após o parto, no Hospital Geral de Bonsucesso, dizendo que a levaria para uma creche. A criança nunca mais foi vista.

Laís disse ter sido convencida por ele a também entregar outros dois filhos dela (um casal), por conta de sua situação financeira precária — ela morava em um abrigo. As duas crianças foram entregues, em épocas diferentes, a uma moradora da favela Uga Uga, em Ramos, que trabalhava como faxineira do coronel. O menino ficou somente quatro dias e foi levado de volta por Chavarry. Já a menina, de apenas quatro meses, ficou com ela por 1 ano e meio antes de ser encontrada por Laís. O casal de crianças já está com a mãe.

Ao DIA, essa moradora disse que o oficial pegava a menina aos finais de semana para “encontrar com a mãe e depois a devolvia.” Já Laís afirma que só reviu a criança após 1 ano e meio, quando soube do seu paradeiro e foi até a favela buscá-la. “Ele deixou a menina com essa moradora para ter acesso livre à criança quando quisesse”, afirmou Cristiana Bento, titular da Delegacia da Criança e Adolescente Vítima (Dcav).

A mulher contou que entregou sua sobrinha de 1 ano e meio, que está sob seus cuidados, para ficar com o coronel na semana passada. “Eu precisava trabalhar”, justificou. Após quatro dias, a criança foi devolvida sábado, horas antes de o coronel ser preso por suspeita de abusar de uma menina de 2 anos. A sobrinha dessa mulher vai passar por exame de corpo de delito.

A delegada vai solicitar à Polícia Federal informações das últimas viagens de Chavarry ao exterior. Cristiana quer saber se ele levou crianças para fora do Brasil.

Se as investigações apontarem que Chavarry ficou com as crianças para satisfação sexual, ele poderá ser indiciado por cárcere privado para fins libidinosos, cuja pena para cada caso é de até 5 anos de prisão. A defesa do coronel não retornou aos contatos da reportagem.

Thuanne Pimenta, 23, acusada de ser comparsa de Chavarry, continua presa em cela especial.