Marcelo Crivella quer votos de Osorio, Índio e Bolsonaro no segundo turno

Em um encontro com seus assessores de campanha nesta segunda-feira, o senador disse que não se unirá a políticos envolvidos em casos de corrupção e que vai procurar vereadores eleitos do PMDB

Por adriano.araujo , adriano.araujo

Rio - Na primeira manhã após ser o candidato mais votado para ir ao segundo turno, que será disputado contra Marcelo Freixo (Psol), Marcelo Crivella (PRB) sinalizou que que conquistar os votos de candidatos derrotados na corrida à prefeitura, como Carlos Osorio, Índio da Costa e Flávio Bolsonaro. Apesar de criticar as "lideranças do PMDB", ele disse que vai procurar vereadores muito bem votados da sigla em regiões em que também foi bem nas urnas.

"Já tenho sinalização do PSC de que não iriam com o Psol. Eu vou procurá-los. Vou falar com o Kassab (Gilberto), que é do PSD, partido do Índio. Conversei com o Osório também (candidato do PSDB). Tenho conversado com diversos vereadores, de diversos partidos, inclusive do PMDB. Sempre fiz imensas restrições às lideranças do PMDB, mas isso não significa que não vamos procurar a Rosa Fernandes, vamos procurar o Jairinho e outros que são líderes nas áreas em que eu fui muito bem votado", disse Crivella.

Crivella tinha dito que não tinha intenção de pedir apoio ao PMDB. Declaração mudou nesta segunda-feiraAlexandre Brum / Agência O Dia

A declaração indicando um pedido de apoio à candidatos do PMDB contraria a feita ontem, após o resultado de sua ida para o segundo turno, quando disse que não tinha intenção de buscar à sigla. 

"Acredito que a gente consiga um bom arco de alianças. Mas não será uma aliança feita em cima de cargos, mas de propostas, ideias, valores. Se não tiver que ter aliança no segundo turno, não teremos. Não pretendo fazer aliança com o PMDB", falou na ocasião.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia