Por gabriela.mattos

Rio - Quem vê Isabella Marinho da Costa Neves, pela primeira vez, com seu jeitinho meigo e tímido, mal acredita que ela é a mesma menina que se transforma em estrela quando põe as sapatilhas e sobe a palcos. Ela simplesmente arrebenta, arrancando suspiros e aplausos das plateias. De acordo com especialistas, talentos, atitudes e potenciais como os de Isabella poderiam ser raros, mas estão em ebulição por conta, principalmente, do avanço da tecnologia. O assunto vem sendo motivo de estudos, pois os tempos modernos estariam ampliando a visão global e estimulando atividades infantis em diversas áreas.

Márcia Modesto, psicóloga e psicanalista terapeuta de casais e família, alerta que os pais ou responsáveis pelas crianças devem prestar atenção às primeiras manifestações de talentos das crianças, sejam em qualquer área. Para ela, os sinais que mostram que determinada criança vai se destacar em alguma atividade, até mesmo profissional, estão sendo dados cada vez mais cedo.

"Minha filha começou a fazer balé aos 5 anos, por indicação médica, para estimular o desenvolvimento neuropsicomotor. Se apaixonou pela dança. Agora experimenta o jazz”, orgulha-se a jornalista Grace Marinho, enquanto acompanha um dos ensaios de Isabella no NAC Dance, no Recreio. Com os bailarinos da escola, Isabella ensaia, sob a orientação da professora Bia Ruffoni, o próximo espetáculo, ‘A Pequena Sereia’, que entrará em cartaz em dezembro. “Quero ser bailarina profissional”, planeja, decidida, Isabella.

Isabella se destaca em dança%2C estudos e nos palcos de teatroMárcio Mercante / Agência O Dia

No mesmo ritmo de sucesso instantâneo, Catarina Valente, de 9 anos, enche a família e os amigos de orgulho. Ela descobriu o talento para teatro há pouco mais de um ano e já engata sua sexta temporada como atriz. Catarina desponta entre o grupo que ensaia ‘Peterpan’, a próxima peça.

“A coloquei no teatro para acabar com a timidez. Mas foi, na verdade, o estopim para a fama do dia para a noite”, conta a mãe, a empresária Cláudia Valente. A filha já contracenou com artistas famosos, como Milena Melo, que viveu Sofia na novela ‘Sete Vidas’.

Fora dos palcos, têm pequenos cariocas brilhando em outras áreas, o que, com certeza, será motivo de abraços redobrados no Dia das Crianças. É o caso se de Daniel Branco, 11 anos, que este ano recebeu, pela terceira vez consecutiva, o prêmio de Melhor Aluno do Colégio Pensi. “Persigo esse prêmio porque sei que faço meus pais (o professor Márcio Branco e a jornalista Cíntia) felizes”, justifica Daniel.

Allan Azevedo%2C de 13 anos%2C descoberto na Cidade de Deus por Orlando Muniz (com ele na foto)%2C é o novo xodó do FluminenseDivulgação

Atenção às aptidões

"Com o mundo globalizado e tecnológico, os pequenos já nascem estimulados para fazerem mil e uma coisas. Cabe aos pais, especialmente, como os principais orientadores, estarem atentos à essas descobertas para aptidões, que têm se manifestado bem mais cedo, ao contrádio de décadas atrás”, adverte a psicóloga Márcia Modesto.

Ela, porém, adverte que as crianças jamais devem ser forçadas a fazer somente aquilo que os pais querem. O papel do pai e da mãe é prestar mais atenção no filho, conversar com ele sobre habilidades que ele já vislumbra, orientá-lo e ajudá-lo a trabalhas suas potencialidades. Tudo com olhar acolhedor, para não criar traumas e frustrações, que podem até ser carregadas pelo resto da vida”, ressalta.

Para ela, evitar comparações dos filhos com irmãos ou colegas que praticam as mesmas atividades, também é fundamental para o alcance do sucesso dos pequenos. “São desnecessárias e desmotivadoras”, completa.

Para tentar identificar talentos precoces, o Ministério da Educação criou o Núcleo de Atividades de Altas Habilidades/Superdotação (Naah/s), em parceria com a Unesco. Mas, por enquanto, só há 27 centros espalhados pelo país, com pouco mais de dois jovens atendidos, entre alunos dos ensinos Fundamental e Médio, além da Educação Infantil.

Mais leitura e vocabulário mais rico

De acordo com o pedagogo Julião Mourat Jr., a maioria das crianças com talento especial, se destaca também por ler e escreve acima do nível esperado, além de possuir vocabulário rico e com capacidade de excelente entendimento das ciências. Talentos que também podem ser observados nas artes, no esporte, entre outras áreas.

“Essas crianças se destacam sem querer, pois possuem uma capacidade notável e expontânea para brilhar. São acima da média”, define.

Entre as características que as definem estão pontuações acima de 130 em testes de quociente intelectual (QI).

Você pode gostar