Policiamento é reforçado após intenso tiroteio no Pavão-Pavãozinho e Cantagalo

Saldo final do episódio de violência comunidades com UPP foi de três suspeitos mortos e três policiais militares feridos. Oito foram presos

Por O Dia

Rio - A região do Pavão-Pavãozinho e Cantagalo amanheceu com policiamento reforçado nesta terça-feira após intenso tiroteio que assustou moradores durante o decorrer desta segunda-feira e provocou fechamento de parte do comércio local e de bairros vizinhos. Segundo a Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) local, militares do Comando de Operações Especiais (COE) reforçam o patrulhamento na região. A polícia não informou sobre novos confrontos.

Policiais no Pavão-Pavãozinho%2C nesta segunda-feira. Três suspeitos morreram e três policiais%2C entre eles o comandante da UPP%2C foram baleadosAlexandre Brum / Agência O Dia

De acordo com a Polícia Militar, a guerra começou por volta das nove da manhã de ontem, quando traficantes do Morro Pavão-Pavãozinho, em Copacabana, atacaram as bases da UPP local. Houve tiroteio e dois supostos bandidos foram mortos. À tarde, os traficantes voltaram a atacar. No confronto, o comandante da unidade policial, o capitão Vinicius Apolinário de Oliveira, foi ferido por estilhaços.

O saldo final do episódio de violência nos morros do Pavão-Pavãozinho e Cantagalo, comunidades com UPP, foi de três suspeitos mortos e três policiais militares feridos. Oito bandidos foram presos. Seis deles, sendo dois feridos, se entregaram quando se viram encurralados na mata, na parte mais alta da favela.

A rendição foi intermediada pela mulher de um dos bandidos, segundo o major Vinicius Carvalho, do Batalhão de Choque. Entre os presos, um dos chefes do Morro, conhecido como Samuca.

Também foram apreendidos seis fuzis e duas pistolas, além de uma mochila com oito quilos de pasta base de cocaína, que estaria em poder do homem que despencou da encosta, após ser alvo de tiros disparados do helicóptero da PM. A polícia não soube informar se o suspeito foi morto pelos tiros ou devido à queda. Em nota, garantiu que as circunstâncias serão apuradas.

Levado para o Hospital Central da PM, no Estácio, o capitão Vinicius Apolinário de Oliveira foi medicado e recebeu alta. Mais de 120 policiais foram deslocados para enfrentar os bandidos do Pavão-Pavãozinho. O intenso tiroteio deixou em pânico moradores e comerciantes dos bairros de Copacabana e Ipanema. Várias lojas baixaram as portas e um acesso da estação General Osório, do Metrô, foi fechado por mais de uma hora.

As ruas do entorno dos morros, em Ipanema, foram bloqueadas pela PM, para evitar que carros fossem atingidos. Homens do Bope ocuparam o Pavão e o Cantagalo no final do dia, por tempo indeterminado.



Últimas de Rio De Janeiro